Em meio a escândalos, Uber perde espaço para Lyft

Por Redação | 19.06.2017 às 18:55
photo_camera Divulgação

De acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira (19), a Uber tem perdido participação de mercado para a Lyft, sua principal concorrente. Segundo os dados, o alcance de mercado norte-americano da Uber caiu de 84% para 77% entre janeiro e o final do mês passado. Ao que tudo indica, os problemas da Uber estão relacionados aos recente escândalos com o enfrentamento de problemas legais, internos e de imagem pública.

Apenas neste ano, a Lyft já chegou a 150 novas cidades, sendo que as solicitações de corrida aumentaram nada menos que 135% entre abril de 2016 e abril de 2017. Mesmo sendo menor que a Uber, parece que a imagem da Lyft está crescendo. Na verdade, a Uber tem sido foco por conta de seu envolvimento em diferentes embates judiciais. Muitas de suas falhas estão ligadas ao sexismo e a cultura de assédio dentro da empresa, o que vem sendo combatido desde o resultado da investigação de Eric Holder, ex-procurador-geral dos EUA.

Tudo começou quando uma mulher foi vítima de estupro em 2014 por um motorista da Uber na Índia. Na ocasião, ela iniciou um processo contra a companhia por violação de sua privacidade após o ataque. No dia 7 de junho foi relatado que os principais executivos da empresa obtiveram cópias dos registros médicos, usando-os para questionar internamente se o ataque realmente aconteceu. Como consequência da descoberta, diversos funcionários foram demitidos.

Vale lembrar que a Uber também tem enfrentado outros problemas recorrentes, como assédio e discriminação dentro da própria companhia. Após o relatório emitido por Holder, o CEO da Uber, Travis Kalanick, tirou licença por tempo indeterminado e seu braço direito, Emil Michael, foi afastado. Segundo as informações, a própria Uber investigou 215 queixas, a maioria relacionadas à discriminação de gênero, assédio ou retaliação.

Via Gadgethacks