Cofundador da Uber diz que executivos estavam obcecados com o crescimento

Por Redação | 22.06.2017 às 08:08

Quando o cofundador Garrett Camp criou a Uber no final de 2008, provavelmente ele não havia previsto o enorme crescimento da companhia. Mas parece que a explosão meteórica da empresa acabou gerando o caos, que se transformou na série de escândalos que tem circulado na mídia internacional.

Após diversas investigações e acusações envolvendo a cultura corporativa da companhia, inúmeros funcionários foram demitidos e executivos de alto escalão acabaram afastados de seus cargos. Isso significa que, hoje, a Uber está enfrentando um enorme processo de reestruturação. Até Garret Camp, que não desempenha papel importante no dia-a-dia da empresa, acabou aparecendo para explicar toda a situação.

"Em um mercado altamente competitivo, é fácil ficar obcecado com o crescimento, em vez de usar o tempo para garantir que você esteja no caminho certo", escreveu Camp. "Agora essa é a hora... parar por um momento e pensar sobre o que realmente importa aqui: fornecer transporte para 65 milhões de passageiros quando eles precisam, oferecendo 2 milhões de opções de trabalho flexíveis e criando uma cultura de empresa da qual nos orgulhamos", completou.

O ressurgimento de Camp é importante, principalmente agora que o Travis Kalanick não é mais o CEO da Uber. Ao que tudo indica, a empresa está, no momento, investindo pesado em relações públicas, bem como em uma reformulação real de sua cultura empresarial. De acordo com a publicação de Camp, a companhia passará por mudanças radicais, incluindo a contratação de mais profissionais de recursos humanos, além de formar uma nova equipe de liderança e recrutar novos executivos.

A Uber já contratou a executiva de marketing da Apple, Bozoma Saint John, como agente principal para a mudança, e chamou Frances Frei, de Harvard, para ajudar a reestruturar a empresa. A companhia também está em meio a contratação de um COO, para ser vice-líder e parceiro do novo CEO, ainda indefinido. "Eu acredito que o nosso negócio pode ter 10x o impacto que tem hoje - tendo liderança e treinamento adicionais, e evoluir nossa cultura para ser mais inclusiva e mais respeitosa", finalizou o executivo.

Via Recode