CEO da Netflix quer acabar com a pirataria

Por Redação | 13 de Abril de 2015 às 14h14

Reed Hastings, 54, um dos responsáveis por criar a Netflix, em 1997. Hoje, CEO da empresa, ainda tem projetos bastante ambiciosos: não bastasse revolucionar a forma como filmes e séries são consumidos, o norte-americano quer expandir seu serviço de streaming de forma a torná-lo global e, desta maneira, acabar com a pirataria.

A ideia de Hastings é tornar obsoleto o uso de VPNs (ferramenta que burla as restrições regionais de sites como YouTube e a própria Netflix) e, principalmente, diminuir consideravelmente os downloads ilegais de conteúdo audiovisual.

De acordo com o CEO da empresa, "a história das VPNs é apenas uma parte muito pequena. A pirataria é que é o verdadeiro problema no mundo. A solução básica é fazer a Netflix se tornar global e disponibilizar o mesmo conteúdo para o mundo inteiro, assim não há nenhum motivo para usar VPNs. E depois disso poderemos trabalhar na questão da pirataria em si", conclui.

Reed Hastings

O CEO de 54 anos ainda cita que uma das causas da pirataria é justamente o fato de os usuários não encontrarem no serviço de streaming o que estão procurando: "Essa é a parte com a qual nós podemos lidar. Mas existe a outra parte, a das pessoas que simplesmente não querem pagar. Essa é a parte mais difícil. Como uma indústria, temos que estabelecer nosso conteúdo de forma global.

A Netflix continua seus projetos de expansão. No mês passado, o serviço de streaming chegou à Austrália e Nova Zelândia, e espera-se que chegue a ainda outros lugares em breve, levando em conta as falas de Hastings sobre combate à pirataria.

Via IGN.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.