A ética nos processos de gestão

Por Colaborador externo | 16.02.2016 às 08:05

Por Cássio Antonio Lisboa*

A ética nas corporações é um assunto que está em evidencia. O país está atravessando uma grave crise política desencadeada por diversos fatores, sendo um deles o petrolão (com origem na operação Lava-Jato). Existem graves acusações de corrupção, indícios de má gestão, colocando em xeque a credibilidade da Petrobrás perante os investidores. Mas, afinal o que é ética? Segundo o dicionário a palavra ética tem origem no grego “ethos” e significa “bom costume” ou “portador de caráter”. São princípios, regras ou condutas de cada indivíduo, ou seja, é intrínseco.

Nos últimos anos, o Brasil sofre devido à falta de ética na política, tendo sua origem na gestão ineficaz da máquina pública. Os escolhidos por meio do voto, não convertem suas propostas em ações concretas para população. Ao contrário. Muitos beneficiam-se do cargo para obter vantagens (distribuindo cargos de confiança, votos para aprovação de emendas, nepotismo, entre outros favores), sem contar as denúncias e acusações sobre pagamentos de propinas e desvios de verbas. São modus operandi aéticos para obterem algum tipo de favorecimento. Isso não é exclusividade dos políticos: empresas fazem uso desses “favores” para vencerem concorrências de preços, burlar o fisco, entre outras situações. Por que isso acontece? Faltam regras e processos definidos!

Será que a ética permeia esses processos? Sim. Empresas sem regras de gestão e processos definidos não possuem um “bom costume” em conduzir suas atividades. Exemplo disso é o velho jargão dos colaboradores “sempre fiz dessa maneira”. É ele quem tem razão? É inviável otimizar? É nesse momento que entra em ação a consultoria em gestão de processos!

Esse profissional associa expertise com condições técnicas para avaliar o cenário atual de sua empresa, lançando mão de ferramentas como:

  • Entrevistar os colaboradores: são os executores das atividades, conhecem o funcionamento das tarefas atuais. Nesse momento identificam-se as não conformidades, e, baseado no conteúdo das entrevistas, serão realizadas análises quantitativas e qualitativas. Elas fornecerão informações valiosas de como é o AS IS (cenário atual). Um dos cases da Trinus, um cliente atuante no ramo de geração de energia onde, inexistiam regras para reembolsos financeiros definidos. Após as entrevistas, sugerimos a criação de limites, prazos e aprovadores para reembolsos com apresentação dos comprovantes de despesas.
  • Analisar dados: o consultor estuda as evidências e informações coletadas, se elas estão alinhadas com os objetivos do negócio. São levados em consideração diversos critérios como: tempo consumido na execução da atividade, riscos inerentes, recursos despendidos (financeiros, humanos e materiais), falhas de qualidade, entre outros. Em um projeto contratado por uma incorporadora, identificamos o prazo para elaboração de contratos era de 80 dias. Após análise da equipe, propomos a utilização do próprio sistema para otimizar atividade, reduzindo o prazo para 15 dias.
  • Modelar processos: é a entrega dos documentos que indicarão as melhores práticas de como executar rotinas de trabalho, implantando o compliance com o intuito de seguir o correto fluxo das atividades garantindo sua correta execução, com alçadas e aprovações. Referenciando outro case, um cliente do ramo de construção civil não tinha o hábito de homologar seus fornecedores. Após o trabalho da Trinus, o cliente aderiu às sugestões de reestruturação, e, houve redução na ordem de 40% nos retrabalhos, gerando economia média de R$ 500.000,00 relacionadas à insumos e serviços.

Baseado nos argumentos apresentados, sua empresa precisa de upgrade para reorganizar suas atividades e redefinir processos? Se a resposta for sim, é imprescindível o trabalho de uma consultoria especializada. São esses profissionais quem realizarão o diagnóstico por meio de análises baseadas em metodologias, reforçando as boas práticas, propondo melhorias nos gargalos detectados em processos e atividades atuais, coibindo “maus costumes” que podem estar impedindo o crescimento e o desempenho. Sucesso!

*Cássio Antônio Lisboa é Analista de Processos da Trinus Consultoria Organizacional.