Tecnologia da Informação: uma aliada para um recrutamento eficiente e ágil

Por Colaborador externo | 03.07.2014 às 15:15
photo_camera Divulgação

*Por Anderson Diniz Hummel

Encontrar o candidato ideal sempre foi um desafio enorme para a área de recursos humanos. Nos últimos anos, o advento da internet e das redes sociais parecia estar otimizando o trabalho dos profissionais que atuam neste segmento, mas, apesar de ajudar, essas opções já não são mais suficientes. É preciso ir além. O mercado tem exigido cada vez mais rapidez e precisão na hora de contratar.

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos constatou que oferecer uma vaga em sites de emprego alcança apenas 5% dos profissionais no mercado de trabalho. A conta é óbvia, mas nunca custa reforçar que o uso destes sites, assim como blogs de vagas e mídias sociais, deixa de fora 95% dos potenciais candidatos à vaga.

Ainda devemos incluir nessa conta também aqueles que não estão procurando emprego. Outro estudo aponta que 79% deles estão abertos a uma conversa com um recrutador e que se mostram mais interessados à medida que a proposta represente um upgrade em sua carreira, com mais benefícios, melhor qualidade de vida e novas oportunidades.

Mas, como manter estas pessoas no radar? Um caminho é a manutenção de um banco de currículos que agregue informações em tempo real vasculhando constantemente na web, informações sobre as características dos profissionais mais adequados para determinada vaga, tanto em perfis de redes sociais, como em grupos de discussão, fóruns técnicos etc.

É essa proatividade na análise dos perfis que vai permitir, não a oferta de uma vaga ao mercado, mas a oferta de uma oportunidade para um profissional específico. Parece impossível, mas é uma realidade proporcionada pela evolução da tecnologia da informação, e o mercado brasileiro já está percebendo isso com mais força.

Analistas apontam que o Brasil começa a entrar em uma década revolucionária tanto em relação às tecnologias para identificação de profissionais capacitados quanto no desenvolvimento de mão de obra. Nos Estados Unidos e na Europa, há cerca de dez anos já é possível vermos a integração entre os departamentos de RH e os fornecedores de tecnologia.

Não por acaso, todos os grandes desenvolvedores de soluções de TI estão envolvidos no desenvolvimento de softwares que aprimorem os processos de recrutamento, a avaliação de desempenho e retenção de talentos. Já existe disponível no mercado brasileiro, por exemplo, soluções criadas especialmente para ajudar os gestores de RH a encontrar os candidatos ideais.

Essas ferramentas usam recursos de Big Data, mineração de dados e análise de redes sociais para identificar potenciais candidatos a determinados perfis de vagas. Na prática, o sistema se propõe a fazer, de forma automática, o trabalho que grande parcela das empresas de recrutamento faz de forma manual: buscar informações e identificar candidatos em redes sociais virtuais, fóruns e grupos de discussão, só que de forma automatizada, e muito mais rápida.

O propósito é encontrar os profissionais que não estão procurando emprego o que, por si só, já representa uma grande mudança. Mais que uma solução de tecnologia, ferramentas como esta representam a quebra de paradigma no modo como as empresas buscam seus colaboradores. O futuro não trata mais de divulgar vagas, mas de identificar e atrair o candidato ideal. Isso só será possível com a ajuda da tecnologia, e é bom que as áreas de RH se preparem para isso.

*Anderson Diniz Hummel é Responsável Técnico pelo Compleo Talent.