Segurança corporativa como aliada dos negócios

Por Colaborador externo | 15 de Janeiro de 2014 às 11h00

Por Marcos Tabajara*

Manter o equilíbrio entre as prioridades de segurança e a flexibilidade e a agilidade exigidas pelo negócio é um desafio. Porém, cada equipe de gerenciamento precisa enfrentá-lo para garantir o crescimento financeiro, conquistar vantagens competitivas e maximizar a eficiência operacional.

As falhas em segurança significam a perda do IP, comprometendo as informações e a confiança dos clientes, assim como a avaliação de risco. É preciso minimizar as ameaças em meio às responsabilidades de definir uma estratégia de segurança e novas políticas operacionais. Diante disso, é necessário ficar atento, pois a inovação empresarial pode ficar prejudicada se algo falhar neste processo.

À medida que as mudanças ocorrem nos ambientes de negócios, a infraestrutura de segurança tem que se adequar para garantir o sucesso da empresa. Não importa se o gerenciamento é feito diante do risco de ataques avançados ou durante a transição para a nuvem ou dispositivos móveis, o resultado é sempre o mesmo: a infraestrutura de segurança também necessita ser adaptada de forma padronizada.

É um grande desafio: como o profissional de segurança cibernética pode gerir a companhia com flexibilidade e proteção de forma a minimizar os riscos? Abaixo, foram selecionadas algumas questões que determinam se a solução escolhida será efetiva ao longo do tempo.

  • As soluções devem estar disponíveis nas versões física, virtual, em nuvem e oferta de serviços gerenciados. Hardware, software e outros serviços devem trabalhar juntos, sem causar problemas para o usuário;
  • Uma arquitetura de segurança totalmente integrada possibilita aplicar políticas de segurança em todos os pontos de controle, mesmo sem intervenção manual para conter danos e prevenir futuros ataques;
  • É preciso implementar funcionalidades extras de segurança (por exemplo, prevenção de ataques da próxima geração, controle de aplicações, firewall de ponta e proteção contra malwares avançados) como forma de garantir uma proteção de ponta-a-ponta.

Um dos principais benefícios ao assegurar que a organização está bem protegida é atrair e reter profissionais de segurança cibernética. Esse é um setor em expansão e que demanda pessoas cada vez mais preparadas para acompanhar a industrialização de hackers. Pesquisas recentes apontam que, no futuro próximo, a oferta de vagas para profissionais altamente especializados em segurança subirá em 50 mil postos, nos setores público e privado.

Um especialista em TI se sentirá muito motivado se puder fazer parte de um time de segurança focado em proteger os sistemas corporativos com as tecnologias mais novas no mercado, capazes de acabar com vetores e ameaças sofisticadas. Ele também não irá querer largar a equipe tão cedo, contribuindo para o sucesso geral.

É necessário olhar as novas tecnologias de segurança como recrutadoras e mantenedoras de talentos profissionais. Com a abordagem de segurança ideal, a companhia poderá desenvolver um ambiente de segurança que seja eficaz para todos os integrantes do time.

* Marcos Tabajara é country manager da Sourcefire no Brasil – agora parte da Cisco

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.