SAP deixa bem claro que agora será uma empresa de computação na nuvem

Por Redação | 01.08.2013 às 11:14

Um dos temas de maior destaque no "SAP Americas Partner Leadership Summit", evento que reuniu os principais parceiros da SAP em Miami esta semana, foi a grande mudança na estratégia de negócios da empresa. Conhecida como uma das líderes mundiais no mercado de gestão empresarial (ERP), agora a SAP anunciou que deseja ser vista como uma empresa de computação na nuvem.

"Na verdade, já somos a empresa líder em oferecer cloud computing, com 30 milhões de usuários", disse Robert Enslin, presidente de vendas e um dos integrantes do board mundial da SAP. A declaração foi feita durante a abertura do evento, conforme destacou Maurício Renner, do portal de notícias Baguete Diário.

Para comprovar que sua receita não está mais centrada no seu sistema de gestão empresarial, a SAP divulgou alguns números que apontam outra direção bem interessante para a empresa. De acordo com o TIinside, os serviços de nuvem oferecidos pela SAP já respondem por US$ 460 bilhões em transações de negócios. Cerca de 70% da receita mundial da SAP provém da soma de soluções adquiridas nos últimos anos pela SAP, como a Business Object, Sucess Factor, Sybase e Ariba – todos operando na plataforma SAP Hana na nuvem, que permite o processamento de quantidades massivas de dados em tempo real.

As três Américas são responsáveis por 40% das vendas globais da SAP, e são potencialmente interessantes para a empresa, pois crescem acima das taxas de mercado e até mesmo da própria corporação. "As pequenas e médias empresas são uma grande oportunidade para adoção de cloud pois elas querem usar o investimento no próprio negócio, não em criar uma infraestrutura de TI", disse o brasileiro Rodolpho Cardenuto, presidente da SAP Américas.

Para tentar emplacar seus serviços de nuvem no Brasil, a empresa alemã está focando nas PMEs do país e também em parcerias com grandes empresas que tenham um grande número de clientes, como operadoras de telecomunicações, distribuidoras, seguradoras, financeiras, entre outras. "Conversamos, por exemplo, com a Petrobras que tem a rede Petronet, e com a Citrosuco, que reúne um grande número de pequenos produtores rurais que transacionam com a sede da empresa", disse Sandra Vaz, vice-presidente de vendas para canais da SAP Brasil.

Além dessas iniciativas de cloud, a SAP também deve começar a oferecer soluções como gerenciamento de dispositivos móveis (MDM) e aplicações como "emissão de pedidos e field services hosteadas na nuvem". Parece que a alemã está realmente investindo para se desvincular da imagem de "empresa de ERP".

Leia também: Oracle deve lançar database para concorrer diretamente com o SAP HANA