Por que o SCRUM vem sendo cada vez mais adotado nas empresas?

Por Colaborador externo | 14 de Abril de 2014 às 10h50

por Adriano Filadoro*

Depois de se adaptarem plenamente a termos como CRM, ERP e BI – só para citar os mais comuns – as empresas começam a conhecer e a adotar o SCRUM. Diferentemente das siglas citadas, não se trata de um acrônimo, mas de uma palavra com vida própria que, na prática, está relacionada ao desenvolvimento e gerenciamento de projetos de software com agilidade e interatividade. A metodologia SCRUM fornece uma estrutura para resolução de problemas com a mesma velocidade com que eles ‘brotam’ nas organizações. Ou seja, provê um menu de ferramentas e diretrizes para garantir que um projeto siga adiante sem interrupções drásticas nem prejuízo das partes interessadas. Tanto é assim que, apesar de ter sido originalmente destinado a projetos de software, tambpem passou a ser utilizado na manutenção deles ou ainda no gerenciamento de projetos em geral.

Tamanha popularidade se deve, em parte, à sua democrática interatividade, já que essa metodologia prevê a participação de profissionais da empresa contratante (cliente), da criação e desenvolvimento (empresa contratada), além da equipe que faz a manutenção (interna ou externa). A comunicação diária entre as partes é fundamental para o sucesso desse processo, mas, por ser uma metodologia ágil, as reuniões não devem se prolongar mais do que 15 minutos – a não ser quando problemas mais estratégicos são levados à discussão com o “SCRUM master” e exigem um esforço maior de todo o time.

Fazendo uso de gráficos em lugar de planilhas – já que são de fácil e rápida compreensão –, o time envolvido também adota um quadro de trabalho em que as atividades e atribuições individuais são organizadas. Sendo assim, basta um olhar atento para saber o que é preciso fazer, o que já está em andamento, o que precisa ser verificado e o que já está concluído. Na eventualidade de algo não sair como esperado, é possível localizar de imediato onde está o problema. Isso é especialmente importante quando se está lidando com situações em que é difícil prever tudo o que pode fugir do controle.

Quando o assunto é “fábrica de software”, vale a pena conhecer o SCRUM mais detalhadamente. Sua agilidade é responsável, em grande parte, pela inovação apresentada. Tudo é feito a partir das necessidades dos clientes e não a partir de soluções pré-programadas. Também, por isso, não há excessos. Ou seja, a solução traz o que é necessário e ponto final. Não impõe um sem-número de possibilidades que nunca serão usadas – e que, normalmente, acabam onerando muito a contratação do serviço. O cliente terá aquilo que precisa e valoriza no curto prazo e com facilidade de implantação e manutenção. Também em termos de comprometimento da equipe, trata-se de uma metodologia inovadora, já que desperta o sentimento de pertencimento, de responsabilidade pelo sucesso coletivo. Como todas as fases do processo são transparentes, o profissional sabe que faz toda a diferença naquele projeto, se empenha e orgulha-se disso. Conclusão: cliente sempre mais satisfeito, aumento de investimentos e economia em alta.

*Adriano Filadoro é diretor de tecnologia da Online Data Cloud, empresa de tecnologia e negócios com mais de 20 anos de atuação.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.