Os erros mais comuns de SEO e como se livrar deles

Por Redação | 09 de Dezembro de 2013 às 11h00

Ferramentas de busca contam com vários algoritmos e sistemas de detecção, que coletam as páginas da internet e as transformam em resultados relevantes para os usuários. Esses mecanismos automatizados contam também com ferramentas que auxiliam o Google na detecção de links maliciosos, pouco relevantes ou criados justamente para atrair tráfego sem entregar conteúdo.

Com isso, o Google criou certas regras que ditam o que e como conteúdos podem se tornar relevantes, e daí nasceu o SEO. Muita gente, porém, não sabe exatamente como agir quando observa uma queda drástica nas visitas, que pode ter como origem problemas na otimização da página.

Confira agora algumas dicas para trabalhar de forma mais adequada às políticas do site de busca ou identificar possíveis erros em seu site atual. A seleção foi baseada em texto publicado pelo Huffington Post.

Criando conteúdo

O Google utiliza algoritmos com nomes de animais para organizar, selecionar e hierarquizar conteúdos da rede. O Panda, por exemplo, é responsável por identificar conteúdos que trazem baixo valor para o usuário, enquanto o Penguin elimina práticas de manipulação, como o uso de diversos links que levam para uma mesma página ou outras práticas que tentam melhorar o rankeamento. Ambos têm como intuito acabar com o "black hat", como é chamada a prática de criar tráfego sem relevância.

Antes, era justamente o número de conexões para um determinado site que justificava sua posição no ranking de pesquisas do Google. Agora, porém, a arquitetura é muito mais voltada para a utilidade e valor de cada conteúdo. Portanto, criar trabalhos de qualidade e realmente entregar o que se promete já é um grande passo para evitar problemas de rankeamento.

SEO Black Hat

Para auxiliar as pessoas a criar conteúdo realmente relevante aos olhos da ferramenta de busca, o próprio Google lista uma série de perguntas que todo produtor deve se fazer sobre seu site:

  • A informação divulgada é confiável?
  • O conteúdo foi escrito por um especialista ou é raso?
  • Ele está duplicado, sobreposto ou redundante em um mesmo site? Trata-se da mesma coisa apenas escrita de maneiras diferentes?
  • Existem erros de escrita ou gramática?
  • O conteúdo é curto, pouco substancial ou específico?

O Google também chama a atenção para a otimização em excesso, uma prática que também é considerada nociva. Por isso, nada de incluir diversas vezes a palavra a ser rankeada em uma mesma página ou repetir demais as informações. Isso também pode causar punições na hierarquia.

Vale a pena lembrar que, em caso de penalização, o site inteiro cai nas buscas, e não apenas a página onde a irregularidade foi identificada. Por isso, tente sempre manter seu conteúdo sadio e relevante.

Como identificar problemas

Se você sente que as visitas em suas páginas estão menores devido a problemas de SEO, vale a pena dar uma checada nos relatórios do Google Analytics. Observe quedas gritantes no número de acessos e cruze esses dados com as atualizações do Panda e do Penguin, de forma a observar se as novidades da ferramenta de buscas não estão interferindo.

Além disso, dê uma olhada no Google Webmaster Tools em busca de mensagens da própria empresa sobre problemas ou punições a seu site. Ações manuais dos moderadores também podem ser realizadas aqui, portanto, é importante checar a seção específica sobre isso para ver se algum conteúdo não foi catalogado como irregular.

Ao identificar os problemas, o melhor a fazer é remover as páginas identificadas. Corrigi-las pode dar efeito, mas pode ser uma ação ineficaz e com resultados mais demorados.

O layout também é importante

Google

Além de observar o conteúdo e características das páginas, o visual também é um fator importante para a otimização. A informação deve ser postada de forma clara e simples, sem que o usuário tenha de se virar para encontrá-la nem tenha dificuldades para acessar. A apresentação deve ser direta e não intrusiva.

Aqui, o Google utiliza a expressão above the fold para designar tudo aquilo que está disponível na primeira dobra da página, visível sem a necessidade de rolá-la. Um título chamativo, um resumo das informações e imagens ilustrativas são importantes não apenas para que os mecanismos de busca gostem de você, mas também seus usuários.

Uma grande quantidade de anúncios logo de início não é vista com bons olhos. Isso não quer dizer que você deva excluir completamente a propaganda, e sim, integrá-la de forma natural ao conteúdo. É importante sempre levar em conta que, apesar do aspecto financeiro ser importante, seus usuários estão acessando sua página por causa do que ela contém, e não para ver propagandas. É isso que o Google leva em conta.

Fique atento ao tempo de carregamento das páginas e evite plug-ins ou elementos que possam causar travamentos. Layouts responsivos, que funcionam bem em dispositivos móveis, também contam pontos e podem fazer com que seu conteúdo apareça mais acima na lista do Google.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.