O que realmente importa para a motivação profissional?

Por Colaborador externo | 05.09.2014 às 09:18

Por Monalisa Rigo-Sanches*

É bem comum ouvir as pessoas falando que funcionários motivados produzem mais e melhor. A dificuldade, então, está, com certeza, na capacidade do time de gestão descobrir e encontrar a melhor forma de promover essa tão sonhada motivação à sua equipe. Um bom ambiente de trabalho? Uma remuneração acima do que é oferecida pelo mercado? Muitos desafios? Muitas vezes, isso parece não ser o bastante.

Segundo uma pesquisa realizada no início do ano pela Cristina Panella Planejamento e Pesquisa e pela LeadPix Survey, 36% dos brasileiros se sentem motivados, principalmente, por experiências aprendidas, ou seja, tudo o que agrega como diferencial na vida dos trabalhadores, seja no âmbito profissional ou pessoal. É importante mostrar que, mesmo que o funcionário esteja fazendo o que gosta, agregar diferenciais e experiências novas na carreira é sempre um fator decisivo para a permanência dele na empresa e, por consequência, para diminuir os índices de turnover.

Uma análise interessante que pode ser feita a partir desta pesquisa é que a palavra “experiência” às vezes não se refere apenas a algo dentro do escritório. E, neste sentido, o que algumas empresas multinacionais vêm fazendo é o intercâmbio de funcionários. Sim, um intercâmbio no sentido literal da palavra, uma troca de fato. Um funcionário sai do Brasil com destino a outro país onde a empresa opera e alguém desse país vem para o escritório daqui. É uma experiência bastante rica e que proporciona uma enorme motivação e reconhecimento ao funcionário que viaja. Além disso, traz, aos que ficam e para dentro do ambiente corporativo, a cultura de um país totalmente diferente.

Essa experiência também pode acontecer a partir de um almoço em grupo ou até de um chamado team building, que são pequenas reuniões ou atividades com o simples propósito de fazer com que os integrantes da equipe se conheçam melhor, estreitando seus vínculos e estabelecendo relações mais saudáveis e produtivas. Outra alternativa fácil e eficaz é a organização de pequenas competições internas, como bolões de futebol ou até um campeonatos de vídeo game. E por que não um happy hour ou uma festa dentro do próprio escritório? Vale usar a criatividade e até compartilhar a deliberação e decisão das melhores possibilidades aos próprios colaboradores.

O fato é que motivá-los, muitas vezes, pode ser bem mais simples que se imaginava. É preciso conhecer quem são as pessoas que trabalham em sua equipe e, com isso, buscar formas eficazes de reconhecer o trabalho, proporcionar boas experiências dentro e fora do escritório e apreciar o resultado: talvez a chave para um time produtivo e sinérgico.

*Monalisa Rigo-Sanches é formada em Publicidade pela Universidade Metodista de São Paulo e atua como Team Leader de Operações da Zanox.