O que as empresas precisam ajustar na sua comunicação com os clientes

Por Colaborador externo

Por Dan Novais*

No Brasil as vendas de celulares bateram recorde em 2013 com 67,8 milhões de aparelhos comercializados no período, de acordo com dados da IDC. E para 2014 os números não ficarão menos interessantes: a Abinee (Associação Brasileira de Indústria Elétrica e Eletrônica) prevê vendas de 67,6 milhões de celulares, sendo 51,4 mi de smartphones. Esses números refletem mudanças nos hábitos dos consumidores on line que se entrelaçam com o crescimento exponencial do SIG (Sistema de Informação Geográfica) e da IL (Inteligência de Localização).

Atualmente, muitas empresas estão procurando maneiras de integrar a Inteligência de Localização aos processos de negócios, seja um varejista aplicando técnicas de geomarketing para desenvolver melhores campanhas ou uma seguradora avaliando o risco com base nos padrões demográficos e meteorológicos locais.

À medida que caminhamos para o segundo semestre de 2014 e começamos a olhar para final do ano, eu suspeito que veremos três tendências principais no espaço da IL:

1. Inteligência de Localização Será a Principal Tendência

As empresas estão começando a desenvolver estratégias de tecnologia tendo em mente dados móveis e voltados para o ambiente social. Essa tendência emergente está gerando novas exigências para as capacidades da inteligência de localização e abrindo todo um novo mundo de possibilidades para negócios. Para as empresas, a localização se tornará parte integrante em muitas operações de negócios, quer as vendas estejam seguindo uma nova tendência, ou o marketing esteja criando uma campanha. BI, CRM, ERP e outros sistemas serão fortalecidos e terão autonomia a partir da IL.

Na Pitney Bowes, nós acreditamos que será uma exigência central dos negócios alavancar a localização, especialmente por meio do fortalecimento daqueles dados com fontes de informação tanto interna como externa.

2. Localização Tornou-se a Pedra Fundamental do Marketing em Mídias Sociais

Relacionada à tendência descrita acima, as mídias sociais como Facebook e Twitter se tornaram canais para os usuários relatarem sua localização e opinião. Essa informação pode ajudar a fornecer o contexto que as empresas precisam para criar ofertas de marketing personalizadas. Combinando análises da mídia social e localização é possível gerar ideias mais ricas sobre os clientes e dinâmicas do mercado.

3. Finanças e Seguro Tornam a Inteligência de Localização Mandatória

Tendo o SIG e IL se tornado as principais tendências, fornecedores de serviços financeiros e seguradoras oferecem dados detalhados sobre investimentos e portfólios, tanto para planejamento interno como para clientes. Nesses setores, as capacidades de Inteligência de Localização são esperadas, se não obrigatórias, como parte das principais exigências dos softwares das empresas. As expectativas dos usuários de negócios estão apenas aumentando e se tornando muito mais próximas da experiência no estilo do consumidor. Fornecedores tradicionais de SIG e IL precisam refletir sobre essa questão e se focarem implacavelmente na experiência do usuário.

O Futuro da Mobilidade

O fato é que as vendas de PCs estão caindo rapidamente. A empresa de pesquisas IDC também mostrou que no Brasil, o mês de março de 2014 apontou uma queda de 37%, comparado com 2013. À medida que tablets e smartphones dominam o mercado, a necessidade por inteligência de localização se torna mais importante. Os hábitos dos consumidores são diferentes nos dispositivos móveis e as empresas terão que ajustar a comunicação para situações contextuais, ao invés de mantê-las estáticas assumindo que as interações acontecem em casa.

No ambiente corporativo, os processos de negócios tradicionalmente apresentados em uma interface de usuário rica de um PC precisam ser desconstruídos e organizados de acordo com os dispositivos móveis.

*Dan Novais é VP Latam da Pitney Bowes.