Governança Corporativa: Indústrias miram novas decisões

Por Colaborador externo | 06.08.2014 às 13:45

Por Leandro Coeli*

Dados divulgados na imprensa revelam o crescente inve­­stimento por parte do comércio e varejo em Governança Corporativa. Somente nos últimos anos houve um considerável incremento na procura por cursos, informações e conteúdos com foco em GP. Como sabemos, os benefícios em relação à qualidade na gestão, assim como na transparência das informações, tornam-se evidentes. A comunicação é muito fácil, livre de manipulações e aberta a todos. Porém, o que precisamos analisar é se esse mesmo empenho, que tem acontecido nesses dois segmentos, também ocorre em outros setores como nos chãos de fabrica e nas indústrias em geral espalhadas por todo pais.

O Brasil possui mais de 310 mil indústrias, com receitas líquidas que chegam a R$ 2,2 tri, o que responde por 68,2% da receita total. São mais de 8 milhões de pessoas empregadas, segundo análise divulgada pela PIA – Pesquisa Industrial Anual. Mas, um passo importante que tem acontecido nos demais países e que seria uma excelente evolução para muitas empresas no Brasil é a MESA – Manufacturing Enterprise Solutions Association Internacional. Essa associação atua como uma comunidade global de fabricantes, produtores, líderes de indústria e provedores de soluções focados em direcionar resultados para os negócios, desde seu início.

Uma das formas da MESA contribuir para melhorias em modelos de negócios é por meio do desenvolvimento de melhores práticas. E isso deve estar automaticamente atrelado à Tecnologia da Informação. Não existe passo de evolução, de gestão eficaz, modernidade, segurança e também praticidade, sem que a Tecnologia de ponta não esteja junto.

A tecnologia deve oferece todo suporte para que essa gestão transparente e eficaz funcione.

É o que podemos ver em grande parte dos chãos de fábrica. Geralmente seus gestores dependem de terceiros e as informações podem se perder. Com mais integração entre os sistemas e dados de todas as áreas há muito mais força e sustentação para que as empresas possam ficar menos preocupadas com questões como Governança Corporativa e passem a dedicar mais tempo em suas reais funções.

Tendo a tecnologia aliada a essas medidas, os resultados serão de mais transparência, melhor gestão, integridade, evitando fraudes e manipulação de dados. Além disso, obtém-se ganhos secundários como redução de custos e agilidade, o que certamente interessa e muito às empresas.

Para isso devemos deixar o tradicional de lado e enxergar na tecnologia e últimas tendências nossos grandes aliados. Melhorar gestão significa mais produção e menos erro!

*Leandro Coeli é diretor da Phisystems, fabrica de software e parceira oficial InduSoft.