Como lidar com a falta de profissionais de TI no mercado

Por Redação

Todas as indústrias mudam com o tempo, mas em nenhuma isso acontece tão rápido quanto na área de TI. Não apenas as tecnologias mudam, mas os objetivos e necessidades dos negócios também. Assim, encontrar o profissional certo nesse mercado pode ser muito difícil.

A CIO conversou com uma série de especialistas sobre arquitetura de pessoas, um conceito que pode ajudar as empresas a lidar com a difícil tarefa de contratar e reter profissionais de TI. Algumas das dificuldades mais comuns que gerentes encontram quando lidam com esse mercado são:

  • Lacunas de habilidades constantemente vazias, dificuldade em contratar profissionais especializados com habilidades multidimensionais e conhecimento;
  • Inconsistência com nomes de cargos;
  • Gurus da tecnologia que não querem ser promovidos a cargos de gerência;
  • Salários mudando a velocidades diferentes para pessoas com a mesma escolaridade (tecnologistas x administradores de pessoas x híbridos de TI e administração);
  • Planos de carreira incertos e planos de incentivo que não funcionam mais;
  • Avaliações de trabalho malfeitas ou não feitas. Descrições de cargos desatualizadas ou não precisas;
  • Compensações baseadas no mercado x baseadas em igualidade dentro da empresa;
  • Problemas com concentração de salários;
  • Administrar para crescer: encontrar os melhores modelos organizacionais, estratégias de otimização de pessoas e práticas de recursos humanos para chegar lá;
  • Convencer administradores sêniores a investirem dinheiro em mudanças substanciais nas estruturas de pagamento do pessoal de TI e orçamentos para conseguir executar, de forma previsível, as iniciativas de estratégias de negócio.

Com esses problemas, é preciso construir uma estratégia que irá trazer novos trabalhadores e mantê-los felizes, produtivos e engajados. Essa é uma estratégia de longo prazo, mas que precisa começar em algum momento. Aqui vão algumas dicas que podem ajudá-lo:

Foque em papéis de TI, não em cargos

"Arquitetura não é destruir uma casa e começar com um papel em branco. Isso é impraticável. Isso significa pegar uma estrutura que já existe e construir uma fundação embaixo dela", diz David Foote, analista chefe e cofundador da Foote Partners.

Para ele, as companhias precisam repensar suas estratégias e considerar esses principais papéis dentro da TI:

  • Arquitetos de TI definem soluções de TI para desafios de negócios via arquiteturas, sistemas, aplicações e componentes de processos e a integração de uma grande variedade de aplicações, hardware e componentes de software;
  • Gerentes de projetos iniciam, planejam, executam, controlam e fecham projetos ou programas usando processos formais, métodos, ferramentas e técnicas da profissão para administrar escopos, finanças, riscos, mudanças, problemas, recursos, contratos e satisfação do cliente;
  • Analistas de TI identificam novas oportunidades de negócio/tecnologia, alinham processos à tecnologia usando seus conhecimentos para, junto do cliente, prover valor duradouro;
  • Especialistas de TI auxiliam na construção de soluções trabalhando com o time de arquitetos de TI. Eles validam a solução no contexto da venda da solução e a implementam com uma abordagem de integração de sistemas em uma especialidade de negócios ou tecnologia.
Ciclo

Diferentes papéis trabalham em diferentes fases de um projeto. Fonte: Foote Partners/CIO.

Repense suas descrições de emprego

Muitas organizações tendem a criar descrições de empregos que são uma lista de supermercado de habilidades necessárias e passam longos períodos de tempo procurando a pessoa perfeita. Essa não é a abordagem mais eficiente, de acordo com especialistas.

"Quando nós conhecemos um novo cliente, às vezes eles dizem 'nós estamos procurando por um novo parceiro porque nosso provedor de desenvolvimento fora do país não consegue preencher o seguinte papel', e então recebemos esse e-mail deles com uma dúzia de habilidades técnicas. Nossa resposta é 'nós precisamos conversar sobre o que você tem que fazer'. Qual é o principal objetivo aqui? Então você consegue traduzir isso em como um time deveria ser? Qual deveria ser o talento desse time? Que habilidades você tem e quais você consegue adquirir facilmente?", diz Michael Rosenbaum, fundador e CEO da Catalyst IT Services, um provedor de serviços de outsourcing.

Avalie e reavalie suas habilidades de TI

Na medida em que nossos negócios evoluem ou a tecnologia muda, o mesmo acontece com as habilidades necessárias para realizar um trabalho. Você precisa constantemente avaliar e reavaliar onde você está e que conhecimentos de TI são necessários para chegar onde você quer. Empresas que têm necessidades urgentes ou se encontram com pouco tempo devem usar consultores ou firmas de serviços. Use essas armas para preencher espaços vazios e mantenha seus objetivos de negócio em movimento.

Treine o pessoal que você já tem

Mickey Mantle, CEO da Wonderful Inc., avisa que consultores não devem ser utilizados como solução de longo prazo a não ser que eles façam parte do seu time. Enquanto usa um consultor para manter o projeto em andamento, um bom administrador irá tentar preencher essa vaga com um novo talento ou treinando o pessoal que ele já tem.

Rosenbaum diz que a sua empresa acredita que você tem que criar aquele empregado perfeito e utilizam essa mentalidade já na hora de contratar alguém. Lá, um algoritmo é utilizado para analisar os pontos de um candidato em sua aplicação e na entrevista. Os candidatos que melhor se adaptam à cultura da empresa são trazidos para dentro e as habilidades podem ser treinadas depois. Rosenbaum diz que conhecimentos técnicos são apenas uma pequena parte do sucesso de seus colaboradores dentro da empresa.

"O que realmente guia o desempenho é o talento e, com as habilidades certas, você pode preencher buracos facilmente", ele diz. Uma das mais importantes habilidades em TI é a de aprender rápido e essa é uma habilidade que precisa ser considerada, quer você esteja pensando em contratar um novo talento, quer esteja pensando em promover alguém de dentro.

Construa projetos para carreiras técnicas

Conseguir as pessoas certas é difícil, mas retê-las é ainda pior. Para manter os seus melhores talentos, você deve ter algum tipo de progressão de carreira para eles. Companhias precisam definir padrões para papéis de TI que incluam coisas como habilidades técnicas, habilidades de negócio e habilidades sociais requeridas para passar para o próximo nível. Compensações, bônus por conhecimento e incentivos devem ser considerados quando se constrói esses perfis. De acordo com Foote, é nessa categoria que a maior parte das empresas falha. Elas não entendem como pagar por habilidades diferentes na medida em que elas vão sendo mais requisitadas.

Especialistas concordam que planos de carreira precisos aumentam a retenção e melhoram os ânimos. Você também precisa ter uma metodologia clara que mostra o que é preciso para ir de uma posição para a próxima. Saber o que é necessário para chegar no próximo nível faz maravilhas em retenção de profissionais. Oferecer aos seus colaboradores as ferramentas para chegar lá deve tornar a decisão deles de sair ou ficar uma escolha fácil.

Crie um programa de recrutamento em universidades

O melhor jeito de construir talento, de acordo com Mantle, é criar um programa de recrutamento em universidades. "Construir um programa de recrutamento nos coloca lá fora e nos permite trazer e moldar novos talentos", afirma.

Pense diferente

Aquitetar o seu pessoal não é algo que vai acontecer da noite para o dia. É sobre quebrar conceitos preestabelecidos em TI e separá-los em papéis mais horizontais. Apesar de isso não ser um processo fácil, Foote diz que é um passo necessário para lidar com tanta complexidade e o ritmo da tecnologia.

Essa abordagem requer que algumas organizações repensem a maneira como elas manejaram seu pessoal no passado - algumas precisam de mudanças, mas outras precisam de uma reforma completa. Essa é uma grande tarefa para a maioria dos negócios e aqueles que a adotam se sentirão pressionados. "Para empresas fazerem isso", diz Foote, "elas precisam sentir a dor".