5 dicas para usar a inovação como aliada na gestão da crise em pequenas empresas

Por Colaborador externo | 16.06.2015 às 08:34

Por Fábio Túlio Felippe*

Todos sabemos que há uma nuvem de incertezas sobre 2015, e que ela representa um desafio a mais para as empresas que precisam se adequar aos novos tempos de ajustes. A crise econômica está aí e as empresas que quiserem sobreviver a ela devem se preparar.

Em tempos de crise, a eficiência das empresas é colocada à prova. As decisões precisam ser mais assertivas e, para isso, automatizar e racionalizar os processos - além de ter as informações necessárias e corretas para a tomada de decisões - é fundamental.

A relação com os clientes, especialmente neste cenário, precisa ser de proximidade real, estar lado a lado para conhecer melhor suas particularidades e evoluir continuamente para atendê-los cada vez melhor. Estar próximos dos clientes possibilita ainda uma oportunidade muito preciosa: identificar necessidades ocultas, possibilidades de melhorias e soluções dos seus problemas. E é isso que subsidia a inovação.

Se inovação é essencial para o crescimento de qualquer empresa, em tempos de crise, ela vira palavra de ordem. E para que as pequenas empresas possam se fortalecer nesses tempos de crise e transformar os obstáculos em oportunidades inovadoras, aqui vão algumas dicas para os gestores:

1. Interaja e misture-se

Aqui vale realmente o velho ditado “a união faz a força”. É fundamental que as pequenas empresas se aglutinem e com isso construam benefícios mútuos. Seja com a criação de um grupo de compras para barganhar melhores preços e condições ou para licenciamento de marcas. A ordem é misturar-se com as outras empresas. Isolar-se e ficar de escanteio são grandes erros para a pequena empresa.

2. Oxigene-se

O momento pede que o empresário abra sua mente e coloque-se aberto a novos conceitos e novos conhecimentos. É muito importante buscar por aprimoramento, seja por meio de palestras, treinamentos ou leituras. Para que o gestor tome decisões assertivas, é necessário que ele saiba construir um bom panorama, o que é conquistado facilmente pelo contínuo aprimoramento.

3. Melhore os processos e faça mais

É preciso fazer mais com menos, por isso, pensar nos processos que podem ser racionalizados é fundamental. É importante ficar atento, pois essas movimentações podem demandar investimento, uma vez que serão necessários treinamentos e melhorias que possibilitem a mudança do quadro atual e isso requer uma visão ampla do negócio.

4. Melhore a gestão e tenha o controle do seu negócio

Evoluir a inteligência sobre o negócio e ter as rédeas da empresa em suas mãos é muito importante, especialmente nesses momentos de crise. O gestor da pequena empresa precisa ter indicadores que norteiem a tomada de decisões e as definições estratégicas do negócio, como margem de contribuição ou sua lucratividade por linha de produto, região ou vendedor, para conseguir promover as mudanças que o cenário econômico demanda em tempo hábil.

5. Inove

Mudanças pedem mudanças. Que atitudes você tomou frente às mudanças do cenário econômico ou frente ao modo dos seus concorrentes agirem no mercado? Aí está a chave para inovar. Mas sem organização e conhecimento de gestão, qualquer inovação promovida estará sujeita à tentativa e erro. Por isso é preciso ter a inteligência do negócio em mãos e assim direcionar as mudanças. Lembre-se que a inovação não chega a você numa solicitação pronta, você precisará estar junto do seu cliente e atento ao mercado.

*Fábio Tulio Felippe é diretor presidente da Jiva Gestão Empresarial, especializada em soluções de gestão empresarial para pequenas empresas e que atua no modelo de franquias