Valve garante que óculos realidade virtual não causam enjoo

Por Redação | 29 de Setembro de 2015 às 12h48
photo_camera Divulgação

Em conversa no EGX, o maio evento de games do Reino Unido, o roteirista da Valve Chet Faliszek defendeu a tecnologia da realidade virtual aplicada aos jogos eletrônicos. E ele foi enfático ao avisar aos jogadores que não tolerem experiências do gênero que causem náuseas.

A mensagem até agora pode parecer contraditória em relação à chamada da notícia, mas calma lá: Faliszek afirmou aos gamers que a culpa por enjoos não é da tecnologia em si, mas, sim, dos desenvolvedores. Segundo ele, há uma crença arraigada de que a RV pode causar este tipo de problema, mas isso não passa de balela.

“A ideia de que a realidade virtual pode deixar você enjoado é besteira”, afirmou. “Há pessoas que não querem testar [a tecnologia]. Em uma reunião de 10 pessoas haverá alguém que diz: 'Eu vou passar mal, eu vou passar mal, não posso fazer isso'. Esta expectativa é baseada naquilo que eles viram ou ouviram anteriormente”, garante o roteirista.

Óculos de RV livre de enjoos

A Valve garante ter criado um dispositivo livre de enjoos, o Vive, dispositivo que usa o SteamVR e foi concebido pela companhia e fabricado pela HTC. A partir disso, Faliszek garante que o equipamento não causa enjoos, mas se os usuários ainda continuam tendo este tipo de problema, a culpa é do desenvolvedor do game.

“Como consumidores e pessoas em uma comunidade, culpem os desenvolvedores por isso”, disse ele. “Eles [os óculos] não deveriam deixar vocês enjoados. Não é mais culpa do hardware, são as escolhas dos desenvolvedores que deixam os jogadores nauseados. Digam a eles que vocês não querem isso”, sugere.

Além disso, Faliszek garante que usar métodos tradicionais de controle de jogo, como um joystick convencional, pode colaborar para a sensação de náusea. Assim, a possibilidade de caminhar por um ambiente de fato ajuda a ambientar melhor o seu cérebro, fazendo com que ele assuma a ideia de que tudo aquilo está acontecendo de fato.

“Quando você alcança e pode interagir com o mundo, a compreensão do seu cérebro diante do sistema cresce exponencialmente”, afirma o veterano roteirista da Valve.

Contudo, a princípio, os jogos devem ser pensados para se apoiar no uso de controles tradicionais, com botões físicos. Isso porque este é o padrão da indústria na atualidade, com os principais nomes do gênero RV usando este tipo de dispositivo (como o Oculus Rift e o Project Morpheus, da Sony) a fim de usar a familiaridade com que os gamers já possuem com este tipo de equipamento para garantir a sua entrada no mercado.

Fonte: GamesIndustry

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.