Ubisoft finalmente explica o downgrade do primeiro Watch Dogs

Por Redação | 14.07.2016 às 19:45
photo_camera Divulgação

Três anos depois do fiasco envolvendo o downgrade nos gráficos de Watch Dogs, a Ubisoft finalmente explicou o que diabos aconteceu para que a versão final do game tivesse visuais tão diferentes daqueles que foram mostrados quando o título fora anunciado. Segundo ela, a mudança de geração e a falta de conhecimento do novo hardware foram as principais responsáveis pelos problemas que o game teve em seu lançamento.

Em entrevista ao site Evening Standard, o produtor de Watch Dogs 2 Dominic Guay comentou um pouco sobre as dificuldades que o time de desenvolvimento teve na época. De acordo com ele, o anúncio do jogo se deu antes mesmo de a Ubisoft conhecer de fato a configuração do PlayStation 4 e do Xbox One e, para não atrasar a produção, eles optaram por fazer uma estimativa em um computador daquilo que eles acreditavam que seriam as especificações. Porém, as estimativas acabaram sendo positivas demais, o que fez com que a demonstração inicial do jogo fosse nitidamente superior ao produto final.

Guay revela que eles usaram como base um PC muito potente na expectativa de que os novos consoles da Sony e Microsoft apresentassem um poder de fogo semelhante. Contudo, a realidade foi um pouco diferente, já que a falta de intimidade com o hardware os obrigou a fazer diversas alterações, diminuindo cada vez mais a qualidade. Isso talvez justifique os atrasos que o game teve antes de seu lançamento, o que deve ter apenas amenizado todos os problemas que o título teve em sua produção.

Watch Dogs

Empresa não tinha contato com o hardware dos novos consoles e fez previsão otimista demais

Já para Watch Dogs 2, o produtor diz que podemos esperar uma história bem diferente. Segundo ele, todo o desenvolvimento se deu dentro de uma base mais previsível, ou seja, todos sabiam de antemão o que eles podiam e o que não podiam fazer nos consoles atuais. Guay explica que, desde o início, o jogo vem sendo desenvolvido pensando nessas plataformas e no que seu hardware é capaz de oferecer, ou seja, sem qualquer surpresa negativa no meio do caminho. Isso sem contar que, sem versões para PlayStation 3 e Xbox 360, o time não precisa mais se preocupar com esse "nivelamento" para baixo.

Tanto que o que devemos ver no game será uma versão evoluída da tecnologia usada no motor gráfico do primeiro Watch Dogs. Ao longo desses três anos, a Ubisoft teve tempo de sobra para aprimorar a engine, fazendo correções e melhorias em vários aspectos. De acordo com o produtor, isso significa que devemos ter um ganho significativo nos gráficos, sobretudo na iluminação, que deve estar mais detalhada e dinâmica, criando um efeito mais realista. E, pelo que foi mostrado durante a última E3, as promessas não são em vão. Você pode conferir nossas primeiras impressões do game aqui.

Desde a polêmica envolvendo o primeiro Watch Dogs, a Ubisoft vem tomando muito cuidado com o modo como seus anúncios são feitos e com a própria viabilidade da apresentação desses jogos. Durante a última E3, por exemplo, todas as demonstrações exibidas em sua conferência já estavam rodando dentro do motor gráfico final, evitando que novas discrepâncias acontecessem. Pelo visto, ela realmente aprendeu com seus erros.

Via: Evening Standard, Eurogamer