Taiwan pede bloqueio de Pokémon GO nas rodovias do país

Por Redação | 11 de Agosto de 2016 às 13h00

Taiwan é o mais novo país a solicitar à Niantic um bloqueio no funcionamento de Pokémon GO em determinados locais, neste caso, em suas rodovias. De acordo com as autoridades do país asiático, o game já seria responsável por causar acidentes de transito em rodovias, com mais de 1,2 mil motoristas flagrados pela polícia jogando enquanto dirigem.

O Bureau Nacional de Rodovias, órgão taiwanês que cuida do sistema viário do país, não revelou o número de acidentes, mas disse que existe potencial para graves problemas no futuro. Por isso, antes mesmo que eles cheguem, o governo pede que a Niantic remova Pokémons, paradas e outros pontos de interesse das proximidades das estradas, de forma a garantir que os jogadores somente utilizem o game em vias comuns.

Além disso, a administração local disse ter intensificado a vigilância nas autoestradas de forma a coibir os jogadores de Pokémon GO. Taiwan tem regras rígidas quanto ao uso de celulares ao volante, com multas que equivalem a R$ 300 para motoristas carro e R$ 100 para motociclistas que forem flagrados utilizando dispositivos móveis durante a condução de seus veículos.

Assim como no Brasil e em outros países do mundo, Pokémon GO se tornou uma febre na Ásia e está levando muita gente para as ruas, com os celulares na mão, em busca dos monstrinhos. Usar veículos é uma boa forma de “burlar” o sistema, que conta passos e distância para chocar ovos, por exemplo, além de chegar mais rapidamente a locais de interesse ou onde estão lançadas “iscas” para atrair personagens.

Não é a primeira vez que um país solicita que a Niantic bloqueie Pokémon GO em alguns territórios, entretanto, essa parece ser a primeira vez que um pedido desse tipo se relaciona a vias comuns. Nas últimas semanas, o Japão solicitou que a empresa impedisse o funcionamento do game no memorial às vítimas do bombardeio de Hiroshima, enquanto a Polônia solicitou que o mesmo acontecesse no interior do campo de concentração de Auschwitz. Ambos os pedidos foram feitos em respeito às vítimas e ao tom das localizações, e acabaram atendidos pela companhia.

Fonte: VR Zone