Sony confirma que não está mais produzindo jogos AAA para o PlayStation Vita

Por Redação | 17 de Junho de 2015 às 12h36

Parece mesmo ser o fim da vida do PlayStation Vita. Renegado há alguns anos para o segundo plano, o videogame portátil da Sony passou praticamente batido durante a E3 2015, mal aparecendo durante a conferência de imprensa da companhia, que aconteceu na segunda-feira (15). E, agora, vem a confirmação que todos temiam: nenhum game “grande” está sendo desenvolvido para ele.

Pelo menos não pelas mãos das produtoras da própria Sony. As palavras são de Shuhei Yoshida, que é diretor dos estúdios de desenvolvimento da empresa, que disse não ter nenhum jogo AAA – como são chamados os maiores do mercado – em produção exclusivamente para o portátil.

Por outro lado, ele lembrou que isso não necessariamente significa que aqueles que adquiriram o Vita ficarão sem ter o que jogar. Yoshida lembrou, por exemplo, de World of Final Fantasy, a proposta diferente da Square Enix com sua franquia clássica de RPGs, que chega no ano que vem, e também a torrente de títulos multiplataforma que estão chegando, com jogos independentes que, ao serem comprados, funcionam tanto no portátil quando no PlayStation 4. Aqui, entra em ação sistemas que permitem a importação de dados salvos, por exemplo, para que o usuário possa continuar a jogatina em qualquer um dos aparelhos.

Sobre uma possível morte do Vita, porém, Yoshida evita falar. Ele explicou a ausência do portátil na conferência da Sony falando na enorme quantidade de conteúdo apresentado, com títulos de destaque pelas mãos de desenvolvedoras parceiras tomando grande parte da apresentação. Foi o caso, por exemplo, do mítico Shenmue III e do ainda mais lendário remake de Final Fantasy VII, além de The Last Guardian, os três grandes destaques da apresentação na E3.

Esse tipo de resultado, porém, não seria exatamente uma surpresa. Em maio, Andrew House, presidente da divisão PlayStation, disse que o Vita deixaria de receber suporte no Ocidente, sem grandes investimentos para esse lado do mundo. O foco, então, passa a ser o Japão e o restante da Ásia, onde o portátil ainda vende bem e tem uma boa gama de jogos em desenvolvimento, principalmente para os fãs de JRPGs.

Yoshida ecoou tais afirmações ao dizer que o Vita deve se tornar, cada vez mais, uma plataforma para jogos menores. De acordo com o executivo, acontece hoje a mesma situação de anos atrás, com o PSP. À época, as pessoas ficaram empolgadas com o potencial do console, mas com a chegada de um console de mesa ainda mais potente, como o PS3 e hoje o PS4, os estúdios maiores acabam se focando mais neles. Assim, o portátil acaba ficando em um segundo plano, mas faz uso de suas particularidades para entregar uma experiência divertida.

Além de rodar jogos próprios, o PlayStation Vita também pode funcionar como controle e segunda tela para o PS4. Por meio dele, por exemplo, é possível jogar os games do console de mesa sem a necessidade de uma televisão, desde que, claro, o usuário esteja nas proximidades do aparelho, uma vez que ambos precisam estar ligados por uma conexão sem fio.

A E3 2015 é uma das principais feiras de games do mundo e está acontecendo em Los Angeles, nos Estados Unidos. O evento termina nesta quinta-feira (18).

Fonte: IGN

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.