Se Stranger Things fosse um jogo, ele seria Oxenfree

Por Redação | 29.07.2016 às 09:57

Stranger Things já se tornou a nova queridinha da internet. A série original da Netflix conquistou o público a partir de uma fórmula muito simples, mas extremamente funcional: trazer nostalgia com uma boa história. Os oito episódios da trama misturam vários elementos de filmes dos anos 70 e 80, como E.T – O Extraterreste, Os Goonies e Conta Comigo, para trazer uma trama de suspense repleta de reviravoltas e tensão. E, exatamente por ser curta, é que a série termina com aquele gostinho de quero mais.

Por sorte, há uma grande variedade de outros produtos com a mesma pegada. Além dos clássicos já citados, há inclusive um jogo que segue na mesma pegada de Stranger Things e que não esbarra na questão temporal. Ao contrário dos jogos dos anos 80, que tinham um ritmo bem diferente dos atuais, o game Oxenfree foi lançado no início deste ano para PlayStation 4, Xbox One e PC e traz uma pegada bem parecida com aquela que o seriado da Netflix apresentou e já dentro da dinâmica mais atual, o que acaba sendo perfeito.

No game, o jogador controla um grupo de adolescentes que decide passar suas férias em uma pequena ilha e descobre, aos poucos, que o local esconde muitos segredos e presencia vários fenômenos paranormais — incluindo, mais uma vez, a existência de uma realidade paralela que acaba se chocando com o nosso mundo e criando eventos bizarros. Basicamente, é aquilo que Stranger Things apresenta, mas ambientado em outro lugar.

Ainda assim, Oxenfree também se apega a um estilo mais nostálgico do mesmo jeito que a série. No caso, sua jogabilidade remete muito aos antigos Point-and-Click que reinaram nos computadores nos anos 90, seguindo uma lógica bem semelhante à de títulos como Moneky Island, Day of the Tentacle e Full Throttle. Por outro lado, suas mecânicas são mais modernas e trazem muitas influências da Telltale, sobretudo ao oferecer ao jogador a possibilidade de fazer suas escolhas e ver suas decisões moldarem a narrativa.

Além disso, o jogo também tem um apelo muito grande nos diálogos e na relação entre seus personagens. Tudo bem que dificilmente eles serão tão carismáticos quanto os protagonistas mirins de Strangers Things, mas a trama apresenta e evolui muito bem os protagonistas do game. Isso sem falar que Oxenfree ainda conta com uma trilha sonora tão interessante quanto a apresentada pela série da Netflix.

E, como o site The Verge destaca, o maior destaque do jogo é que ele não é voltado apenas a quem já possui alguma familiaridade com videogames. Na verdade, seu estilo mais lento e focado na narrativa faz com que ele seja aproveitado por qualquer pessoa. Basta que ela se interesse pelo mistério apresentado e queira explorar mais a ilha em busca de respostas, sendo envolvido pelo suspense construído. A interatividade do jogo é apenas um detalhe dentro do cenário geral.

Via: The Verge