Russo pode pegar 5 anos de cadeia por jogar Pokémon GO dentro de igreja

Por Redação | 05 de Setembro de 2016 às 17h06
photo_camera Divulgação

A mais recente febre do mundo mobile, Pokémon GO já apronta das suas em várias partes do mundo. Seja por levar jovens a invadir delegacias e igrejas ou por causar acidentes de trânsito fatais no Japão e também em várias regiões do Brasil, o jogo da Niantic tem se tornado marcante não apenas pelos recodes quebrados desde que foi lançado no início de julho. E a mais nova entrada na lista de polêmicas vem da Rússia, onde um vlogger pode pegar cinco anos de cadeia por capturar Pokémon dentro de uma igreja.

O jovem Ruslan Sokolovsky, de 21 anos, postou em seu canal no YouTube um vídeo no qual aparece capturando as pequenas criaturas no jogo da Niantic dentro da Igreja de Todos os Santos de Ecaterimburgo, na Rússia. Desde que foi ao ar no início de agosto, o vídeo já foi visto por quase 1 milhão de pessoas e, por incrível que pareça, chamou também a atenção das autoridades, que já estão investigando o caso.

Os investigadores divulgaram um comunicado no último sábado (3) no qual afirmam que o Sokolovsky foi acusado de incitar o ódio e ofensa religiosa, tendo recebido pena inicial de dois meses de detenção. O documento informa ainda que o jovem pode chegar a ficar cinco anos presos apenas por ter sido filmado capturando Pokémon dentro de uma igreja.

“Como alguém pode causar uma ofensa por entrar em uma igreja com um smartphone?”, questiona o vlogger em novo vídeo divulgado no YouTube. “Eu resolvi apenas capturar alguns Pokémon na igreja, por que não? Acredito que isso tanto é seguro quanto não é proidibo pela lei. Vamos nessa.”

Histórico de críticas à igreja

Segundo o site do jornal britânico The Guardian, o jovem youtuber tem cerca de 300 mil inscritos em seu canal e já publicou vários vídeos nos quais critica Igreja Ortodoxa Russa. Apesar do absurdo de sua prisão, o porta-voz da instituição religiosa Vladimir Legoyda afirmou publicamente que o jovem é um blogueiro “velho conhecido que trabalha no estilo da Charlie Hebdo”. Para quem não se lembra, a Charlie Hebdo é uma revista de humor francesa que ganhou notoriedade por fazer sátiras religiosas do islã, sendo inclusive alvo de um atentado terrorista no início de 2015. Segundo Legoyda, Sokolovsky não foi preso por causa do jogo.

Apesar de crítico ao fato de o jovem ter jogado Pokémon GO dentro da igreja, o prefeito da cidade de Ecaterimburgo, Yevgeny Roizman, afirmou que a prisão é um “vergonha” e que “não se pode prender um homem por estupidez”. As redes sociais do país euroasiático também ficaram lotadas de manifestações sobre o tema, inclusive com o lançamento da hashtag #FreeSokolvsky e com apoio de várias personalidades, como o grupo Pussy Riot, famoso por lutar contra a censura, o machismo e o fanatismo religioso que toma conta da Rússia.

Rússia vs Pokémon GO

O lançamento e a popularidade de Pokémon GO não veio sem polêmicas, especialmente pelo possível envolvimento da Niantic com a CIA, a polícia secreta dos Estados Unidos. Muitas pessoas ficaram temerosas com a possibilidade de o jogo ser uma fonte de espionagem para as autoridades dos EUA, inclusive o ministro das comunicações russo Nikolai Nikiforov, desconfiado de que “serviços de inteligência podem ter contribuído para este app”.

O game ainda não foi oficialmente lançado no país, mas já se tornou uma febre lá. E muitos manifestantes já se organizam pelas redes para protestar contra a prisão do jovem youtuber realizando uma grande caçada de pokémon dentro da Catedral Kaza, em São Petesburgo. Ou seja, muita coisa ainda vai rolar neste caso.

Via The Guardian

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.