Resident Evil | Quatro games para jogar antes do novo filme

Resident Evil | Quatro games para jogar antes do novo filme

Por Felipe Demartini | Editado por Bruna Penilhas | 25 de Novembro de 2021 às 18h02

Os fãs já estão contando os dias para a estreia de Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City. O filme chega aos cinemas do Brasil em 2 de dezembro com a promessa de ser uma adaptação cinematográfica fiel ao estilo dos games, deixando de lado o clima de ação e as histórias originais dos seis longas que tivemos até agora.

Com direção e roteiro de Johannes Roberts (Medo Profundo), a ideia é recriar o clima e o terror dos títulos clássicos, trazendo novas versões de seus personagens e histórias que unem protagonistas que nunca chegaram a se encontrar nos games. É uma releitura, claro, mas também uma que promete respeitar a obra original e abrir as portas dela para todo um novo grupo de fãs.

Quem quiser ir além, sempre pode procurar os games. Entre clássicos e lançamentos mais recentes, as histórias que serão tocadas apenas na superfície podem ser aprofundadas e vividas em títulos da Capcom, com a maioria das inspirações de Bem-Vindo a Raccoon City, inclusive, disponíveis nas gerações atuais. Confira a seguir quatro games para jogar antes de assistir ao novo filme.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

4. Resident Evil 2 (2019)

O remake do segundo game da série foi uma lenda de anos, finalmente concretizada recentemente. É, também, a principal inspiração de Roberts para o roteiro de Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City, com o caos que transformou a cidade em um apocalipse zumbi a céu aberto selando o destino de alguns dos principais protagonistas da franquia.

É no meio desse inferno que Leon Kennedy (no filme, interpretado por Avan Jogia) chega para seu primeiro dia de trabalho como policial. Ele se vê em meio a uma luta pela sobrevivência e ainda está envolvido nas conspirações da Umbrella, das quais também fazem parte o chefe de polícia Brian Irons (Donal Logue no cinema) e a espiã Ada Wong (Lily Gao nas telas).

Do outro lado dessa história está Claire Redfield, vivida por Kaya Scodelario nos cinemas. Ela volta a Raccoon City em busca de seu irmão, desaparecido há meses, e acaba se vendo no meio de um desastre. Claire cria uma relação próxima com Sherry Birkin (Holly de Barros no filme), enquanto observa de perto como as ações do pai da garotinha, William (Neal McDonough na adaptação) levaram ao caos. Ele é um cientista da Umbrella, responsável pelo desenvolvimento de vírus e armas biológicas, até ser traído pela própria companhia.

Estão aqui muitos dos momentos centrais de Bem-Vindo a Raccoon City, assim como as suas principais criaturas e cenários, principalmente a clássica delegacia. O remake de Resident Evil 2 está disponível em versões PC, Xbox One e PlayStation 4.

3. Resident Evil (2002)

O outro lado da história de Bem-Vindo a Raccoon City também aparece em um remake, neste caso, o do primeiro jogo da série. No longa, os eventos da mansão e da cidade acontecem ao mesmo tempo, enquanto nos games, o primeiro Resident Evil mostra as origens das pesquisas biológicas da Umbrella que selariam o destino da cidade e da vida de seus principais protagonistas.

Durante uma investigação de assassinatos bizarros, um time de policiais de elite é enviado à floresta que circunda Racoon City, em busca de companheiros que desapareceram durante a missão. No centro estão Chris Redfield e Jill Valentine, interpretados respectivamente por Robbie Amell e Hannah John-Kamen nos cinemas, liderados por Albert Wesker (Tom Hopper).

Em meio aos corredores suntuosos de uma mansão que serve de fachada a um laboratório secreto da Umbrella se desenvolve uma história de violência e traição, que também devemos ver nos cinemas. Aqui, também conhecemos Lisa Trevor, que é interpretada no cinema por Marina Mazepa com uma história bem diferente; nos games, ela é filha do arquiteto do local e uma das cobaias mais torturadas pelas pesquisas ilegais da Umbrella.

O remake do primeiro Resident Evil foi lançado originalmente em 2002, para o Nintendo GameCube, e ganhou versão remasterizada em 2015. O jogo está disponível para PC, PlayStation 4, Xbox One e Nintendo Switch.

2. Resident Evil 3 (1999)

Ainda que o novo filme seja focado nos dois primeiros títulos da franquia, o desastre de Raccoon City ganhou contornos ainda mais dramáticos nesta continuação, que também marcou a despedida da franquia do primeiro PlayStation. É aqui que vemos como tudo, realmente, virou um inferno e, além das decisões violentas tomadas para conter o desastre.

Entre ruas tomadas de zumbis e criaturas, com cidadãos lutando para sobreviver, Jill Valentine está em sua própria jornada. Ela se tornou um arquivo vivo e, após os incidentes da mansão, permaneceu em Raccoon City para investigar a Umbrella; a empresa, por sua vez, aproveitou o caos na cidade para enviar Nemesis, uma de suas armas biológicas mais aperfeiçoadas, para caçar e matar os membros remanescentes da polícia, eliminando testemunhas de suas práticas ilegais.

Os eventos marcaram os fãs que, agora, esperam rever pelo menos alguns destes momentos no novo filme. O caráter de clássico também gerou um remake, lançado em 2020, mas que deixou a desejar por ter uma história rasa e que deixa de lado alguns de seus elementos e cenários centrais, apesar da boa representação de personagens.

Por isso mesmo, a nossa recomendação é jogar o Resident Evil 3 original, que infelizmente, não está disponível em plataformas atuais — sua última versão foi disponibilizada digitalmente no PS3, por meio da retrocompatibilidade digital. Caso prefira a releitura mais recente, o remake tem edições para PC, Xbox One e PlayStation 4.

1. Resident Evil CODE: Veronica (2000)

Outra referência periférica (e surpreendente) pipocou já no trailer de Bem-Vindo a Raccoon City, quando os irmãos Alfred e Alexia Ashford apareceram em imagens de arquivo ao lado de William Birkin. Nas telas, parece que eles serão meros experimentos, enquanto nos games, sua linhagem remete às origens da própria Umbrella e também da aristocracia europeia.

Resident Evil CODE: Veronica marcou a passagem da franquia para uma nova geração e é uma sequência direta ao segundo game da série. A busca de Claire por seu irmão, Chris, faz com que ela seja presa pela Umbrella e levada a uma ilha que também serve como local de experimentos. É lá que temos o contato com uma das famílias que fundou a empresa e com loucuras bem particulares entre os Ashfords.

Depois dos remakes recentes, é este que lidera a lista de pedidos dos fãs por reimaginações — mais, até mesmo, que o todo poderoso Resident Evil 4. O próprio Roberts já disse apreciar CODE: Veronica e deu a entender que, caso uma sequência de Bem-Vindo a Raccoon City seja aprovada, este pode ser o caminho a seguir, apesar de ainda ser bem cedo para falar sobre isso.

Caso você queira se preparar, dá para jogar Resident Evil CODE: Veronica em uma versão remasterizada, lançada em 2012 para o Xbox 360 e disponível via retrocompatibilidade nos consoles da Microsoft mais recentes. Estes, porém, são os únicos consoles atuais em que o game está presente, tendo versão também para PS3, além das clássicas no Dreamcast, PlayStation 2 e Nintendo GameCube.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.