Professor de geografia usa Pokémon GO para alunos entenderem mapas

Por Redação | 14.08.2016 às 21:00

Além de proporcionar diversão e atividades físicas (que seja ao menos umas caminhadas por aí), o game de realidade aumentada de maior sucesso do momento também está ajudando crianças a se darem bem na escola. Mas não estamos falando de alunos que conquistaram algum status de popularidade por terem capturado um maior número de Pokémon: trata-se de um professor de geografia que está usando Pokémon GO para ensinar a leitura de mapas de uma maneira que seus alunos consigam entender com mais facilidade.

Pokémon GO e geografia

O professor Leandro Ferreira posa à frente de seus alunos (Reprodução: Divulgação)

Leandro Ferreira, professor do 3º ano da Escola Municipal Professora Regina Mallouk, de São José do Rio Preto (SP), decidiu levar os alunos para as ruas na última segunda-feira (08) para todos caçarem as criaturas juntas e aprender um pouco mais sobre ler e entender mapas no processo. “Os alunos não podem trazer celular para a sala de aula, mas neste dia os pais e a escola autorizaram. Fomos às ruas divididos em grupos para mapear o entorno da escola. Colocamos no mapa pontos de ônibus, telefones públicos, casas dos alunos, supermercados e, claro, Pokéstops e locais mais comuns para o aparecimento de Pokémon”, disse o professor ao G1.

Pokémon GO e geografia

Ferreira auxiliando uma aluna na pesquisa de campo (Reprodução:Divulgação)

O mestre de 34 anos contou também que é jogador de videogame desde criança, e ao jogar Pokémon GO acabou percebendo o potencial do jogo como ferramenta educacional. “Como professor, busco sempre a inclusão de novas tecnologias no processo de ensino/aprendizagem. Pokémon GO desperta o interesse nas crianças e apresenta um mapa”, disse Ferreira, que ensina geografia a alunos de 8 e 9 anos de idade. “Uso o game a meu favor na educação, já que eles [os alunos] gostam de novidades, ficam entretidos e ainda aprendem. Antes de sairmos às ruas dei dicas e orientações de cuidados para jogarem”, explicou.

Pokémon GO e geografia

Alunos do terceiro ano da escola municipal observam o mapa de Pokémon GO (Reprodução: Divulgação)

Para o professor, o game desenvolvido pela Niantic com a Nintendo exige alguns cuidados para ser jogado com segurança. Ele explicou que orientou seus alunos a sempre jogarem em grupo ou com um adulto presente, e também deu instruções para que eles não atravessassem ruas olhando para a tela do celular e também disse que não poderiam pular muros. O professor ainda recomendou que seus alunos não jogassem à noite ou perto de locais perigosos, como aqueles pouco iluminados ou próximos a rios e córregos.

Após a divertida pesquisa de campo, os alunos montaram seus próprios mapas na sala de aula e escreveram redações sobre os problemas sociais que descobriram pelo bairro durante a atividade. “Além disso, os alunos aprenderam problemas matemáticos de soma e subtração com o peso e a altura dos Pokémon, e também a história do bairro nos Pokéstops do game”, contou.

Fonte: G1