Professor de geografia usa Pokémon GO para alunos entenderem mapas

Por Redação | 14 de Agosto de 2016 às 21h00

Além de proporcionar diversão e atividades físicas (que seja ao menos umas caminhadas por aí), o game de realidade aumentada de maior sucesso do momento também está ajudando crianças a se darem bem na escola. Mas não estamos falando de alunos que conquistaram algum status de popularidade por terem capturado um maior número de Pokémon: trata-se de um professor de geografia que está usando Pokémon GO para ensinar a leitura de mapas de uma maneira que seus alunos consigam entender com mais facilidade.

Pokémon GO e geografia

O professor Leandro Ferreira posa à frente de seus alunos (Reprodução: Divulgação)

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Leandro Ferreira, professor do 3º ano da Escola Municipal Professora Regina Mallouk, de São José do Rio Preto (SP), decidiu levar os alunos para as ruas na última segunda-feira (08) para todos caçarem as criaturas juntas e aprender um pouco mais sobre ler e entender mapas no processo. “Os alunos não podem trazer celular para a sala de aula, mas neste dia os pais e a escola autorizaram. Fomos às ruas divididos em grupos para mapear o entorno da escola. Colocamos no mapa pontos de ônibus, telefones públicos, casas dos alunos, supermercados e, claro, Pokéstops e locais mais comuns para o aparecimento de Pokémon”, disse o professor ao G1.

Pokémon GO e geografia

Ferreira auxiliando uma aluna na pesquisa de campo (Reprodução:Divulgação)

O mestre de 34 anos contou também que é jogador de videogame desde criança, e ao jogar Pokémon GO acabou percebendo o potencial do jogo como ferramenta educacional. “Como professor, busco sempre a inclusão de novas tecnologias no processo de ensino/aprendizagem. Pokémon GO desperta o interesse nas crianças e apresenta um mapa”, disse Ferreira, que ensina geografia a alunos de 8 e 9 anos de idade. “Uso o game a meu favor na educação, já que eles [os alunos] gostam de novidades, ficam entretidos e ainda aprendem. Antes de sairmos às ruas dei dicas e orientações de cuidados para jogarem”, explicou.

Pokémon GO e geografia

Alunos do terceiro ano da escola municipal observam o mapa de Pokémon GO (Reprodução: Divulgação)

Para o professor, o game desenvolvido pela Niantic com a Nintendo exige alguns cuidados para ser jogado com segurança. Ele explicou que orientou seus alunos a sempre jogarem em grupo ou com um adulto presente, e também deu instruções para que eles não atravessassem ruas olhando para a tela do celular e também disse que não poderiam pular muros. O professor ainda recomendou que seus alunos não jogassem à noite ou perto de locais perigosos, como aqueles pouco iluminados ou próximos a rios e córregos.

Após a divertida pesquisa de campo, os alunos montaram seus próprios mapas na sala de aula e escreveram redações sobre os problemas sociais que descobriram pelo bairro durante a atividade. “Além disso, os alunos aprenderam problemas matemáticos de soma e subtração com o peso e a altura dos Pokémon, e também a história do bairro nos Pokéstops do game”, contou.

Fonte: G1

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.