Pouco lucro: cada unidade do Switch custa US$ 257 à Nintendo

Por Redação | 06 de Abril de 2017 às 10h07
photo_camera Divulgação

Há pouco mais de um mês no mercado, o Nintendo Switch tem sido um sucesso comercial, com filas de espera em alguns países por conta da alta demanda. Mas, ao que tudo indica, a Big N vai precisar vender mais alguns milhões de unidades para alcançar bons resultados financeiros, já que um novo relatório da firma Fomalhaut Techno Solutions mostra que a japonesa lucra muito pouco em cima do console.

Segundo o levantamento, a Nintendo gasta aproximadamente US$ 257 para montar cada Switch, o que significa que a empresa lucra apenas US$ 42 por cada videogame vendido. Nos Estados Unidos, o Switch sai por US$ 299.

A maior peça do console - que inclui processador, dock e a tela sensível ao toque - custa US$ 167. A Fomalhaut também afirma que tanto o processador NVIDIA feito sob medida quanto a fonte de alimentação "de última geração" não encarecem tanto o preço do dispositivo. Os componentes mais caros são, na verdade, os controles laterais Joy-Cons, que têm valor estimado de US$ 45 cada um. Para se ter uma ideia, um único Joy-Con é vendido por US$ 50.

Os números referentes aos lucros da Nintendo por cada Switch podem ser pequenos, mas não são nenhuma surpresa, já que as empresas estão acostumadas a vender um novo hardware quase pelo mesmo preço de fabricação do produto.

Para efeito de comparação, a IHS conduziu em 2013 um estudo sobre quanto custava produzir o PlayStation 4, da Sony, e o Xbox One, da Microsoft. Ambas as plataformas foram lançadas naquele mesmo ano: o PS4 saía por US$ 399 e custava US$ 381 para ser fabricado (ou seja, apenas US$ 18 de lucro por cada console vendido), enquanto o Xbox One junto do Kinect era vendido por US$ 499 e custava US$ 471 (US$ 28 de retorno). Curiosamente, os controles de PlayStation 4 e Xbox One custam bem menos para serem fabricados do que os Joy-Cons: em 2013, o DualShock 4 era estimado em US$ 18, e o joystick do Xbox One em apenas US$ 15.

Embora a Nintendo não tenha divulgado dados oficiais, uma pesquisa do grupo SuperData estima que a companhia vendeu até o dia 14 de março cerca de 1,5 milhão de unidades na sua primeira semana nas lojas, das quais 500 mil foram comercializadas nos EUA, 360 mil no Japão, 110 mil na França e 85 mil no Reino Unido. Os números devem ser ainda maiores agora que entramos na quinta semana de vendas do console.

Fonte: Fomalhaut Techno Solutions, Polygon, com informações do GamesIndustry.biz

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.