PlayStation Vita vai deixar de receber apoio no Ocidente, diz presidente da Sony

Por Redação | 28 de Maio de 2015 às 10h21

Para quem esperava que a Sony aproveitasse a próxima E3 para mostrar mais jogos para o Vita, eis um belo soco no estômago. Confirmando aquilo que todo mundo já havia percebido há tempos, o presidente da empresa disse que o portátil deixará de receber grandes investimentos ou suporte no Ocidente. Em outras palavras, ele vai passar a ser tratado de vez como um periférico de luxo para o PlayStation 4.

Em declaração dada durante o Electronics Investor Relations Day 2015, Andrew House disse que a companhia vai continuar dando apoio ao aparelho, mas somente no Japão e no restante da Ásia. O sistema é realmente forte nessas regiões e, por isso, faz todo o sentido investir na produção de jogos para o público oriental.

Para o Ocidente, no entanto, a história é outra. Só que isso não chega a ser nenhuma surpresa porque todo mundo já havia percebido há tempos que a Sony havia desistido de investir no Vita para se concentrar apenas no PlayStation 4. Tanto que não vemos um lançamento significativo para o portátil há, pelo menos, dois anos e muita gente já perdeu as esperanças de ver isso mudar.

Então, a partir das declarações de House, podemos imaginar que não teremos mais jogos chegando ao portátil? Na verdade, não. Apesar do tom apocalíptico, o fato do Vita ter sido chamado de uma "plataforma de legado" não quer dizer que ele vai ser abandonado no sentido mais radical da palavra. Sendo realista, ele vai continuar exatamente como está agora: sem nenhum grande investimento por parte da Sony, mas ainda com uma infinidade de títulos menores chegando mensalmente à PSN.

Prova disso é que a própria companhia disse ao site VentureBeat que as declarações de House não têm nada a ver com a descontinuação do aparelho e que ele estava apenas se referindo à primeira geração do Vita, que vai sumir das prateleiras em breve.

O curioso dessa explicação é que, apesar da Sony dizer que o público vai continuar tendo acesso aos jogos do portátil, ela dá mais destaque às funções de conectividade com o PlayStation 4 — reforçando a ideia de que o sistema deve continuar sendo tratado mais como um acessório de luxo por conta do SharePlay, que permite acessar conteúdo da nova geração na tela pequena.

De qualquer forma, é impossível não observar toda essa confusão e perceber que a preocupação dos fãs com o futuro do Vita é realmente legítima. Afinal, desde que foi lançado, no final de 2012, o público viu uma grande promessa e um enorme potencial ser desperdiçado por puro descaso.

Ainda que ele tenha alguns títulos de peso em sua biblioteca, a falta de apoio e interesse da própria Sony fizeram com que ele sobreviva atualmente apenas graças aos jogos gratuitos distribuídos aos assinantes da PlayStation Plus e a alguns jogos que funcionam no sistema de Cross-Buy, ou seja, a mesma versão para PS3 ou PS4 garante também uma cópia para o portátil.

Via: Gaming Bolt, VentureBeat

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.