Pentágono proíbe que funcionários joguem Pokémon GO

Por Redação | 13 de Agosto de 2016 às 21h10
photo_camera Divulgação

O sucesso mundial de Pokémon GO tem gerado grande repercussão, inclusive entre autoridades. A mais recente medida tomada sobre o game foi anunciada pelo Pentágono, nesta sexta-feira (12), quando o Departamento de Defesa dos Estados Unidos proibiu que seus funcionários baixem o jogo de realidade aumentada.

De acordo com Gordon Trowbridge, vice-secretário de imprensa do Pentágono, a medida foi tomada por questões de segurança. “Vocês podem imaginar uma série de razões pelas quais isso não seria uma coisa prudente a se fazer”, explicou.

O maior problema para as autoridades é que o game utiliza de localização GPS para funcionar. Assim, o monitoramento da localização de cada jogador parece estar preocupado o maior exército do mundo. A questão, segundo Trowbridge, é que os jogadores sejam rastreados nas instalações do Pentágono, ficando potencialmente vulneráveis a espiões estrangeiros.

Para além das preocupações com segurança, o vice-presidente do órgão disse que "os contribuintes apreciariam que os telefones do governo fossem usados para os negócios do governo”. Interessante notar, porém, que a proibição foi efetivada agora, mas até algumas semanas atrás havia, inclusive, um ginásio Pokémon dentro do Pentágono.

Gym at the Pentagon has the most accurate Pokémon to represent the US Gov. #Pokemon pic.twitter.com/dQvj2O7nZP