PC ou notebook gamer? Qual a melhor opção para você?

Por Sérgio Oliveira | 13 de Agosto de 2015 às 12h36

Trocar de computador não é tão trivial quanto se pensa. A coisa fica ainda mais difícil quando se está pensando em adquirir um computador gamer, que custa bem mais do que os computadores comuns vendidos no varejo.

Apesar disso, poupar o dinheiro necessário para adquirir a nova máquina não é nem de perto a mais difícil das tarefas, mas sim decidir quais serão as características e especificações técnicas da sua nova cria. Afinal de contas, é melhor comprar um desktop gamer já pronto, montá-lo do zero ou simplesmente partir para um notebook mais potente que atenda a essa necessidade?

Preparamos um guia para lhe ajudar na sua decisão entre montar um PC gamer, comprar o computador já montado ou adquirir um notebook. Confira e faça a escolha certa.

Montando um computador do zero: a opção mais econômica

Esta é, sem dúvidas, a opção mais econômica para quem busca adquirir um computador gamer atualmente. Além de economizar uns bons trocados, que podem ser investidos na aquisição de periféricos e acessórios, montar um computador do zero não só lhe dá a certeza de que as peças colocadas ali são de qualidade, como também garante um melhor desempenho e abre espaço para atualizações ao longo do ciclo de vida da máquina.

Aqui, no entanto, o grande problema é descobrir quais peças se encaixam em quais slots, que tipo de processador utilizar em determinada placa-mãe e até mesmo se você precisará de uma ou duas placas de vídeo para rodar aquele jogo que você tanto deseja. Esteja ciente que além do dinheiro, será necessário investir uma boa quantidade de tempo para juntar as peças desse quebra-cabeça e descobrir qual a melhor combinação de componentes possível para que tudo saia bem, dentro do seu orçamento e de acordo com a pretensão de uso no dia-a-dia.

Comprar peça por peça é bem mais trabalhoso do que comprar uma máquina pronta. Apesar disso, custos bem inferiores.

Comprar peça por peça é bem mais trabalhoso do que comprar uma máquina pronta. Apesar disso, os custos são bem inferiores (Imagem: Reprodução)

Por exemplo: se você quer uma máquina para detonar jogando League of Legends, é possível montá-la por menos de R$ 2.400 com uma boa configuração. Agora se você procura jogar títulos AAA, que têm um forte apelo gráfico, como é o caso de Crysis 3, que oferece até resolução Ultra HD, o valor a ser desembolsado subirá consideravelmente e pode passar fácil dos R$ 8.000.

Fora tudo isso, é necessário entender que há tipos diferentes de processadores e placas de vídeo e cada um deles tem um propósito. Há chips processadores e placas específicos para estações de trabalho, bem como aqueles feitos estritamente para jogos. Se a sua praia é design gráfico ou modelagem em 3D, adquirir uma placa Titan Z pode ser melhor do que uma GTX 980. Isso se dá porque a Titan Z é feita para processar a maior quantidade possível de dados em um curto espaço de tempo, enquanto as placas da série GTX focam no processamento e exibição da maior quantidade de polígonos possível.

Além de pagar menos por um computador com as configurações que você quer, no final das contas o resultado pode ser bem impressionante

Além de pagar menos por um computador com as configurações que você quer, no final das contas o resultado pode ser bem impressionante (Imagem: Reprodução)

Se este é o caminho que você deseja seguir, é uma boa ideia procurar comunidades focadas em discussões de peças e montagem de computadores. Existem inúmeras comunidades gringas que sempre estão debatendo os últimos lançamentos e podem lhe ajudar a ficar antenado no que há de mais recente no mercado. Um bom lugar para começar é a comunidade Build Me a PC no Reddit. Já aqui no Brasil, um excelente ponto de partida é o Clube do Hardware, que traz várias análises e comparativos de placas-mãe, placas de vídeo, processadores e tudo o que há de mais recente no mercado nacional.

Notebooks gamers e o argumento da portabilidade

Uma das principais vantagens de se investir em um notebook gamer é a possibilidade de levá-lo para jogar em qualquer canto. Diferente de um desktop comum, aqui você pode pôr sua máquina na mochila e sair por aí mostrando suas habilidades, bastando abrir a tampa do notebook e ligá-lo.

Além disso, essa portabilidade permitirá que os mais aficionados por jogos não fiquem entediados naquela viagem em família ou visita à casa da avó nos fins de semana, podendo mergulhar no seu mundo sem depender de máquinas que sequer conseguem abrir o Word direito.

Não há dúvidas de que a portabilidade é um dos principais atrativos na hora de decidir por um notebook gamer. As promessas das fabricantes de rodar jogos perfeitos também ajudam.

Não há dúvidas de que a portabilidade é um dos principais atrativos na hora de decidir por um notebook gamer. As promessas das fabricantes de rodar jogos perfeitos também ajudam (Imagem: Reprodução)

Apesar de todas essas vantagens e argumentos, notebooks gamers têm lá seus problemas que podem acabar assustando algumas pessoas, fazendo-as pensar duas vezes antes de optar por essa alternativa. Uma delas, e que incomoda muita gente, é o problema de superaquecimento. Esse tipo de problema já é tão conhecido que praticamente virou característica comum nesses tipos de computador. É bem verdade que existem máquinas com sistemas de refrigeração mais avançados, mas isso pesa bastante no bolso e pode levar alguns a escolherem computadores de mesa mais potentes ao invés de notebooks.

Outro problema é que é praticamente impossível obter o mesmo poder de fogo de um computador gamer num notebook gamer, principalmente se o fator custo-benefício for determinante. Além disso, aqui, placas de vídeo offboard sempre trazem consigo um “M” na denotação do modelo, o que indica que ela essencialmente é a mesma placa do seu modelo original para desktops, mas geralmente têm modificações e vêm soldadas na placa para ocupar menos espaço, o que acaba limando a possibilidade de um futuro upgrade.

Por fim, uma das principais limitações dos notebooks é que suas baterias não são capazes de manter a máquina funcionando por muito tempo numa sessão de jogatina intensa, obrigando o usuário a ficar atrelado a uma tomada. Tendo isso em vista, o argumento de portabilidade acaba caindo por terra, já que até mesmo os mais sofisticados notebooks do gênero não conseguem segurar a onda longe da tomada por muito tempo.

O problema é que a portabilidade tem um preço, que costuma ser bem salgado. No caso de alguns computadores da fabricante Avell, os valores podem ultrapassar os R$ 14 mil

O problema é que a portabilidade tem um preço, que costuma ser bem salgado. No caso de alguns computadores da fabricante Avell, os valores podem ultrapassar os R$ 14 mil (Imagem: Reprodução)

Sendo assim, talvez a decisão de montar um computador por conta própria ou adquirir um notebook gamer seja mais uma questão de dinheiro do que portabilidade no fim das contas. É bem verdade que já é possível encontrar muitos portáteis por aí que dão conta de jogos como Battlefield 4 em 4K, mas isso vem a um custo muito mais alto do que no caso de um computador montado peça por peça.

Computadores pré-montados e o problema do compromisso

Quem não se sente tão confiante assim para montar um computador gamer peça por peça e não quer gastar rios de dinheiro com um notebook gamer sempre tem a alternativa de recorrer a computadores gamers montados sob medida. Aqui, o principal atrativo é a conveniência, já que o valor final do investimento é superior à montagem de um computador e inferior à aquisição de um notebook dedicado à jogatina.

Assim como nos notebooks, aqui o usuário tem a garantia de que tudo virá testado e funcionando perfeitamente, com o sistema operacional e drivers instalados. Basta ligar o computador, instalar seus jogos preferidos e mandar ver.

O mercado brasileiro já conta com diversos fabricantes que trabalham com essa modalidade de computador, oferecendo uma enorme gama de opções que prometem atender aos mais diversos públicos. Em alguns casos, é possível encontrar máquinas com configurações semelhantes às de notebooks gamers, mas com preços bem mais acessíveis, o que certamente ajuda caso você esteja pensando em comprar periféricos extras, como mouse e teclado dedicado à brincadeira.

Os computadores pré-montados também podem ter suas especificações alteradas à gosto do usuário. Apesar disso, é preciso ter cuidado para não pagar demais em componentes que não valem tanto assim.

Os computadores pré-montados também podem ter suas especificações alteradas ao gosto do usuário. Apesar disso, é preciso ter cuidado para não pagar demais por componentes que não valem tanto assim (Imagem: Reprodução / YouTube)

Talvez o grande inconveniente nesse caso seja o compromisso que você assume com a fabricante após adquirir o computador. Até que o período de garantia se encerre, toda e qualquer manutenção ou upgrade devem ser feitos diretamente com ela, sob risco de perder o período de salvaguarda da máquina. Também vale a pena ficar de olho na qualidade dos componentes utilizados na montagem do computador. Não são raros os casos em que os clientes se iludem adquirindo uma dessas máquinas somente por ela rodar “jogo X” e, no futuro, descobrem que não conseguirão rodar o mais novo “jogo Y” porque não é possível atualizar o computador por conta de uma placa-mãe barata que não oferece possibilidades de expansão.

Para evitar esse tipo de problema, a recomendação é pesquisar sobre todos os itens que farão parte da máquina para ter certeza de não estar comprando gato a preço de lebre.

Veredicto

É impossível dizer qual tipo de abordagem você deve adotar para ter seu novo PC gamer. Contudo, um fato é inegável: montar o computador do zero, peça por peça, sai muito mais em conta do que as outras duas alternativas e, geralmente, rendem máquinas mais balanceadas e com desempenho superior à média.

Notebooks gamers, por outro lado, oferecem a mobilidade que tanta gente procura nos dias atuais. Poder carregar sua máquina para cima e para baixo é bastante atraente, não tendo que ficar necessariamente preso a um lugar específico. Apesar disso, essa característica tem seu custo – que é bem salgado – e pode ser que um notebook para esse fim seja mais um artigo de luxo para algumas pessoas. Também pesa o fato do aspecto “fechado” dos notebooks limitarem upgrades e atualizações de hardware, que geralmente ficam restritos a trocas de memória e disco rígido.

Por fim, computadores pré-montados surgem como uma alternativa conveniente, pois já vêm com tudo instalado e funcionando. Apesar dessa comodidade, o usuário tem que estar ciente de que firmou um compromisso, pelo menos enquanto o período de garantia estiver em vigor, e qualquer modificação na máquina deve ser feita junto à fabricante.

Desta maneira, analise bem qual sua necessidade, como você deseja utilizar seu novo computador gamer e, sobretudo, quanto dinheiro está disposto a investir nele. Se tiver tempo e paciência de sobra, mas dinheiro em falta, montá-lo do zero é a melhor opção. Se as coisas não estiverem tão ruins assim e você não tem tanto conhecimento em informática quanto gostaria, adquirir uma máquina pré-montada é a saída ideal. Já se dinheiro não é um problema e você quer ter algo elegante para exibir por aí, um notebook gamer é uma ótima escolha.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.