Patente da Nintendo revela console sem mídia óptica. Mas seria mesmo o NX?

Por Redação | 24 de Agosto de 2015 às 11h16
photo_camera Divulgação

Por mais que a Nintendo tenha decidido adotar uma estratégia de silêncio em relação ao seu próximo console até o ano que vem, alguns detalhes sobre o vindouro NX continuam aparecendo aqui e ali para atiçar a curiosidade dos fãs. E, desta vez, a descoberta pode revelar que a Big N está planejando uma pequena revolução com o sucessor do Wii U. Ou será que não?

Usuários do fórum NeoGAF descobriram uma patente da companhia que mostra um console que não conta com um leitor óptico, ou seja, dispensando o uso das boas e velhas mídias que conhecemos. O registro da tecnologia foi feito em fevereiro deste ano — ou seja, um mês antes do anúncio do NX — e mostra que a ideia é fazer com que os jogadores possam baixar seus games e armazená-los todos no disco rígido.

Em outras palavras, isso seria abandonar de uma vez por todas o formato físico e apostar inteiramente na mídia digital, uma tendência que há tempos vem se desenhando, mas que nunca saiu do papel.

Além disso, a patente revela ainda que o controle do tal console continuaria trazendo uma tela, de maneira semelhante ao GamePad que temos no mercado. Desse modo, o registro basicamente descreve o que seria um Wii U sem suporte a discos.

Patente Nintendo

E é aí que entra a especulação. Embora muita gente trate isso como sendo o primeiro indício do que pode ser o NX, a verdade é que a documentação não cita em momento algum que aquilo deve ser usado em um console futuro da Nintendo.

Desse modo, é muito mais provável que se trate de uma proteção de uma nova tecnologia ou mesmo a intenção da empresa de lançar um novo modelo do Wii U um pouco mais em conta do que aquele que estamos acostumados a ver. Ao remover o leitor óptico, a fabricante poderia oferecer uma versão mais barata do sistema, o que poderia impulsionar as vendas — além de fortalecer a movimentação na eShop.

Pode parecer estranho imaginar isso de uma plataforma que está praticamente com os dias contados, mas basta lembrar que a própria Nintendo já fez isso antes quando lançou o Wii Mini, uma versão do console sem conexão à internet e significativamente mais barata que chegou às lojas pouco tempo depois do Wii U.

Além disso, há outros fatores que depõem contra um console de nova geração sem suporte a mídia física. Primeiro porque a própria Nintendo ainda tropeça quando o assunto é internet, o que faz com que seja difícil imaginar um futuro em que todas as suas operações vão ser baseadas em jogos digitais. Qualquer pessoa que já tentou baixar algo na eShop sabe como tudo é confuso e os serviços são lentos.

Outro fator importante é que, apesar desse panorama exclusivamente digital ser uma tendência que muitos tratam como inevitável, a verdade é que o mercado ainda não está pronto para isso. Nenhuma empresa quer ser a ponta da lança a inovar e abandonar um modelo de negócio que já vem dando certo e se arriscar em algo que ainda gera muita discussão e polêmica.

PSP Go

Exemplo disso é que já houveram tentativas de consoles sem suporte a mídias ópticas antes e que foram completos fracassos. Em 2009, a Sony lançou o PSP Go, uma versão de seu portátil em que todos os jogos deveriam ser baixados apenas na PSN e a repercussão foi terrível, uma vez que lojistas se negavam a vender o aparelho. Afinal, quem quer oferecer um produto que vai afastar o cliente de seu estabelecimento? Mais do que isso, o próprio público rechaçou a proposta, fazendo com que a empresa descontinuasse o aparelho menos de dois anos depois.

Assim, seria algo completamente arriscado para a Nintendo usar a sua chance de corrigir os problemas do Wii U lançando algo ainda mais controverso e com chances maiores de não dar certo. Por mais que haja muitos entusiastas da mídia digital, ainda há uma parcela significativa do mercado que prefere ter a boa e velha caixinha ao alcance das mãos.

Pode parecer besteira, mas isso é algo que realmente faz diferença — principalmente se levarmos em conta a importância do mercado de jogos usados lá fora. Basta lembrar o barulho causado pelos jogadores quando a Microsoft anunciou que o Xbox One não iria permitir o uso de games usados, o que revoltou muita gente e forçou a companhia a voltar atrás e remover a proibição.

Assim, embora muita gente esteja gritando que o NX será o primeiro grande console que chegará às lojas sem CD ou outros tipos de mídia, essa é uma conclusão bem precipitada. Como já estamos cansados de ver, uma patente não significa que veremos aquela tecnologia sendo utilizada na sequência e há muito mais evidências apontando para outra direção do que a imaginada pelos fãs.

De qualquer forma, vale a pena ficar de olho. A Nintendo certamente não vai comentar nada sobre o assunto pelos próximos meses, mas é provável que novos indícios apareçam com o passar do tempo até que, em 2016, tenhamos mais informações sobre o tão comentado sucessor do Wii U.

Via: UberGizmo, NeoGAF, US Patent & Trademark Office