Para reivindicar Pokéstops, cidade norueguesa constrói estátua de Pokébola

Por Redação | 12 de Agosto de 2016 às 10h48
photo_camera Youtube/Reprodução

Geralmente, as Pokéstops ficam em locais de grande circulação ou que tenham algum tipo de interesse turístico, cultural etc - mesma lógica utilizada pela Niantic em Ingress. O problema é que isso tem se transformando num problema para bairros e cidades que não possuem uma grande quantidade desses locais.

Fãs noruegueses de

Pokémon GO

quiseram chamar a atenção sobre esse fato e construíram uma estátua em formato de Pokébola como protesto porque a cidade não possui nenhuma Pokéstop.

Em vídeo divulgado no Facebook, um dos moradores da cidade de Vindenes lamenta que a cidade não tenha nenhum dos pontos de coleta de itens para o jogo. "Não temos Pokéstops. Temos de andar 5 km até o mais próximo", disse o morador.

A estátua, que possui mais de 3 metros, foi erguida como "vingança". De acordo com os moradores, a ausência de Pokéstops está associada à falta de atrações turísticas, algo levado em consideração na hora da escolha da desenvolvedora pelos locais que receberão Pokéstops.

No vídeo, os moradores afirmam que convidaram o premiê norueguês para a inauguração do monumento e que esperam que a Niantic coloque Pokéstops no local.

Problema recorrente

O problema de ausência de Pokéstops também acontece em outras áreas. O jogo da Niantic em parceria com a Nintendo usou praticamente o mapa definitivo do game de realidade aumentada Ingress - também desenvolvido pela empresa - e as Pokéstops estão basicamente nos mesmos locais que os "portais" de Ingress estão. Os portais foram sugeridos por jogadores do game e deveriam ser algum monumento, praça, parque, prédio público ou qualquer outro local que possuísse valor social para o bairro. Logo, locais onde as pessoas não jogavam Ingress acabaram recebendo menos atenção quando o mapa foi transferido para Pokémon Go.

Fonte: G1, Polygon, Nexo

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.