Niantic explica por que Pokémon GO demorou para chegar ao Brasil

Por Redação | 05 de Agosto de 2016 às 10h22
photo_camera Divulgação

A demora de quase um mês para quem Pokémon GO chegasse ao Brasil irritou muita gente. Afinal, foram semanas de expectativa e, sem qualquer pronunciamento oficial por parte da Niantic, os rumores começaram a se espalhar e a fazer com que muita gente se frustrasse com a espera. Porém, parece que a empresa aprendeu a lição e descobriu que manter uma comunicação aberta com seu público realmente funciona e, por isso, decidiu explicar o porquê de o aplicativo ter demorado tanto para chegar por aqui.

Por meio de uma publicação em seu site oficial, a produtora diz que o atraso no lançamento brasileiro e latino-americano de Pokémon GO se deu por conta dos esforços da companhia de combater os sites de rastreamento, páginas criadas por fãs que acessavam os servidores da Niantic e mostravam onde estavam os Pokémon e Pokéstops em praticamente todas as regiões. Segundo ela, esses serviços não autorizados estavam acessando de maneira quase que agressiva o banco de dados do game, infringindo os termos de uso do aplicativo e exigindo muito dos servidores, o que impedia que o game fosse disponibilizado em outros países.

A empresa continua dizendo que já bloqueou vários desses rastreadores, o que diminui de maneira expressiva o consumo de recursos de seus servidores, e permitiu que o jogo fosse lançado no Brasil nesta quarta-feira (03). Para a Niantic, embora esses sites pareçam inofensivos e até sejam muito úteis para os jogadores, o dano causado nos bastidores é muito maior e impede que mais pessoas possam aproveitar o game.

Servidores Pokemon GO

Consumo de dados dos servidores caiu drasticamente após bloqueio de sites, permitindo lançamento no Brasil

Além disso, a empresa ainda credita a esses acessos indevidos outros problemas existentes dentro de Pokémon GO. Muitas das ferramentas usadas por esses sites para vasculhar os servidores da Niantic e os dados coletados acabaram sendo usados também para a criação de bots e outros truques que já infestam o aplicativo em todo o mundo — inclusive no Brasil — e que vem afetando negativamente todos os treinadores. Dessa forma, a companhia optou por seguir bloqueando os serviços, por mais que muitas pessoas tenham achado a decisão ruim e incômoda.

A companhia conclui dizendo saber que ainda existem vários outros problemas dentro de Pokémon GO e que segue fazendo de tudo para impedir que eles continuem a existir — mesmo que, para isso, seja preciso derrubar serviços externos e muito queridos pelos jogadores. Afinal, mais importante do que permitir a existência de uma ferramenta que ajude os jogadores é fazer com que o game continue rodando.

Via: Niantic

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.