Minecraft vai chegar ao Oculus Rift, mas ele não é a única novidade para o VR

Por Redação | 25 de Setembro de 2015 às 11h43

Embora muita gente torça o nariz para o mundo cúbico de Minecraft, a verdade é que o game vem se revelando um verdadeiro laboratório para novas tecnologias. Depois de ter se transformado no garoto propaganda do HoloLens, agora o jogo segue para embarcar também no mundo da realidade virtual.

A novidade foi anunciada pela própria Oculus no evento dedicado aos seus óculos especiais. Conforme apresentado durante a Oculus Connect, o título chegará ao Windows 10 já com suporte ao Rift e vai trazer aos jogadores novas formas de exploração daquele mundo tão característico.

De acordo com o gerente executivo da empresa, Brendan Iribe, o lançamento de Minecraft nos PCs e seu suporte ao VR acontece já no ano que vem, o que deve fazer dele um dos primeiros jogos a receber a novidade. E é fácil entender o porquê de todo esse interesse em fazer com que o game também use os óculos de realidade virtual.

Embora pareça estranho imaginar como um jogo tão simples pode chamar a atenção de desenvolvedores dessas novas tecnologias, basta parar e notar o quanto ele é popular. Há canais gigantescos no YouTube de pessoas que ganham a vida empilhando bloquinhos e construindo mundos dentro de Minecraft. Mais do que isso, há um número ainda maior de fãs que se empolgam com cada novidade relacionada a tudo isso.

Assim, fazer com que essas novidades sejam usadas no game se revela uma ótima estratégia para popularizá-las. Ao invés de focar em um ou outro título mais autoral e de menor impacto, faz muito mais sentido abraçar aquilo que as pessoas realmente gostam e consomem.

Outros jogos

Só que Minecraft foi apenas um dos anúncios relacionados ao Oculus Rift feito durante o evento. Outros jogos que já tinham sido confirmados para outros dispositivos de realidade virtual, como o SteamVR, também estão a caminho do Rift. É o caso de Job Simulator e The Gallery: Six Elements.

Além disso, Brendan Iribe apresentou o Medium, um aplicativo que usa o VR para que as pessoas tenham uma experiência avançada e interativa de arte. Como o próprio CEO aponta, trata-se de um app de pintura, mas que também pode ser usado para que a pessoa faça modelagem e outros "trabalhos manuais". A ideia é bater de frente com o Tilt Brush, da Valve, que traz funções bem parecidas.

Já para os jogadores mais hardcore que ainda não viram utilidades práticas para a tecnologia, a Epic Games foi à Oculus Connect mostrar o jogo Bullet Train. Desenvolvido a partir da Unreal Engine 4 e totalmente voltado à ação, o FPS traz uma solução bem interessante para as reclamações de náusea e desconforto que a maioria dos títulos para realidade aumentada recebem. Para isso, em vez de fazer seu personagem se mover de um lado para o outro, ele simplesmente se teleporta pelo cenário.

Preparando o terreno

Parte dessas críticas causadas pelo movimento em jogos de realidade virtual é resultado de problemas de desempenho. Por isso, a Oculus aproveitou o evento para anunciar uma iniciativa que pretende minimizar a incidência desse tipo de coisa.

Oculus Rift

O chamado Oculus Ready é uma parceria da empresa com várias fabricantes de computadores para garantir que os PCs tenham as configurações necessárias para receber o Rift e aproveitar todo o seu desempenho sem trazer esses problemas ao usuário. A ideia é trazer um adesivo ou algum tipo de indicativo visual nos produtos para que o consumidor saiba que aquela máquina pode (ou não) utilizar recursos em VR sem qualquer perda. Até o momento, Asus, Dell e Alienware já confirmaram adesão ao projeto.

Além disso, Brendan Iribe confirmou que o lançamento do Oculus Touch, o controle de movimento dedicado ao Rift, deve chegar às lojas no segundo trimestre de 2016 — ou seja, ainda dentro do cronograma anunciado anteriormente, que previa sua chegada ainda no primeiro semestre. Segundo ele, o acessório ainda precisa de alguns ajustes e deve receber um segundo sensor de movimento para otimizar seu funcionamento.

O executivo comentou ainda que mais de 200 mil desenvolvedores já se registraram com a Oculus para que possam criar jogos voltados à realidade virtual e que boa parte desses produtores de conteúdo vai receber um kit de desenvolvimento do Rift em meados de dezembro para que os óculos cheguem ao mercado no ano que vem já com uma biblioteca de games considerável.

Via: Ars Technica