Microsoft se une à Epic Games na batalha contra a Apple

Por Felipe Demartini | 24 de Agosto de 2020 às 11h33
Divulgação/Epic Games

A Microsoft se posicionou ao lado da Epic Games na batalha judicial da empresa contra a Apple, que está em andamento há duas semanas. Em documento registrado em uma corte do estado da Califórnia, nos Estados Unidos, a dona do Windows e do Xbox One afirma que, ao revogar o acesso da desenvolvedora a ferramentas de desenvolvimento de jogos no iOS e macOS, a Maçã está ameaçando toda uma comunidade de criadores que nada tem a ver com o assunto.

A declaração é assinada pelo gerente de experiências de desenvolvedores de jogos da Microsoft, Kevin Gammill, e afirma que a decisão cria desvantagens para os criadores de games que usam a Unreal Engine, motor gráfico que é criação da Epic Games. Com a decisão, diz o executivo, a Apple acaba negando a entrada, também, destes profissionais em suas plataformas, além de gerar sérios problemas para quem já estava trabalhando com a ferramenta e foi pego de surpresa com a decisão.

Isso se deve ao fato de, como explica Gammill, que decisões relacionadas ao desenvolvimento de títulos são feitas anos antes de seu lançamento, com base em certezas e contratos que a decisão da Maçã, agora, interrompe. A falta de confiança de que as ferramentas e suportes concedidos são permanentes gera ruído em todo o mercado de games e faz com que projetos em andamento, agora, estejam na berlinda, com a necessidade de adaptações caras e muitas vezes impossíveis, com desperdício de tempo e dinheiro que, muitas vezes, podem derrubar projetos completamente.

O documento segue afirmando que a Unreal Engine é essencial não apenas para a atuação da Epic, mas também para todo o mercado de jogos eletrônicos, o que inclui, também, o mercado de iOS, hoje uma das grandes forças do mercado mobile. A Microsoft cita o próprio caso, um contrato de licenciamento por alguns anos relacionado à Unreal Engine, além de contar com diferentes estúdios trabalhando em títulos que usam o motor gráfico em games que sairão para PC, Xbox e dispositivos móveis, incluindo aqueles que rodam iOS.

Isso se deve, ainda de acordo com a declaração, ao fato de a tecnologia ser uma das mais versáteis e, também, baratas do mercado atual, servindo como alicerce importante para a formação dos modelos de negócios, principalmente, de desenvolvedoras independentes. Por tanto, ao impedir que a Epic Games forneça suporte e ferramentas relacionadas ao motor gráfico no iOS e macOS, a Apple também acaba atingindo diretamente tais criadores, interferindo diretamente em sua atuação e potencial criativo.

Tais mudanças também podem atingir títulos já lançados para o iOS e macOS. Sem acesso aos elementos necessários para o lançamento de atualizações, os games podem se tornar problemáticos em hardwares futuros da Apple ou atualizações de seus sistemas operacionais, gerando remoções das lojas online sem que os responsáveis possam tomar qualquer atitude a respeito, em uma medida que agride ainda mais o modelo de negócios das desenvolvedoras que trabalharam com ela no passado e seguem confiando na Unreal para manterem suas ideias e soluções no ar.

O documento foi endossado, nas redes sociais, por Phil Spencer, diretor da marca Xbox, que compartilhou o registro feito na justiça americana por meio do Twitter. Na publicação, o executivo também apoia o pedido da Epic para que o uso da Unreal Engine e outras ferramentas de desenvolvimento criadas pela Epic Games não seja revogado, afirmando que esse acesso “é a coisa certa para desenvolvedores e jogadores”.

O relógio continua correndo enquanto a guerra parece continuar escalando. A Apple não se pronunciou sobre o documento registrado pela Microsoft e, até onde se sabe, mantém o prazo para remoção do suporte ao motor gráfico, que termina nesta sexta-feira (28). Na justiça, a Epic Games pede que uma ação oficial obrigue a Maçã a voltar atrás, enquanto outro processo, relacionado a acusações de monopólio envolvendo a retirada de Fortnite das lojas oficiais do iOS e macOS, também segue adiante, sem previsão de novos movimentos.

Fonte: Microsoft  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.