Siga o @canaltech no instagram

Lindsay Lohan perde novamente em processo relacionado a GTA 5

Por Felipe Demartini | 30 de Março de 2018 às 16h08
Tudo sobre

Rockstar Games

Saiba tudo sobre Rockstar Games

Ver mais

Lindsay Lohan saiu, mais uma vez, como derrotada em um processo movido inicialmente em 2014 contra a Rockstar. Em uma ação considerada “sem mérito” pela corte de Nova York, que negou o recurso da atriz americana, ela alega ter tido sua aparência e história reproduzidos sem autorização em Grand Theft Auto V, o que inclui não apenas aparições dentro do game, mas também em imagens promocionais e peças de divulgação.

No centro da discussão está uma personagem chamada Lacey Jonas, descrita pela Rockstar como uma atriz e cantora famosa por filmes adolescentes, que agora, está envolvida por problemas com drogas e álcool enquanto lida com paparazzis e fãs fanáticos. Obcecada por sua aparência, ela teria anorexia e teria feito todo um trabalho vocal para perder seu sotaque interiorano.

Além disso, o processo aponta como prova a própria imagem de Jonas, usada nas peças de divulgação de GTA 5. A personagem aparece fazendo o sinal da paz usando um biquíni vermelho, de forma extremante semelhante a uma foto antiga da própria Lohan. Em vez de um celular, entretanto, ela teria uma câmera digital na mão.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.
Essa foto seria uma das provas de que a Rockstar se inspirou em Lidsay Lohan para criar personagem de GTA 5 (Imagem: Kotaku)

Entretanto, para a corte de apelações do estado americano de Nova York, isso não é suficiente para que a atriz receba compensações pelo uso indevido de sua imagem. O órgão definiu a personagem como uma “mulher genérica, com cerca de 20 anos de idade, sem traços característicos que permitiriam uma identificação”, sendo assim, julgando a ação movida pela atriz como indevida.

Entretanto, a recusa abre um precedente interessante para outros processos do tipo. Em sua deliberação, a corte afirma que personagens virtuais podem, sim, serem consideradas como reproduções de pessoas reais e, sendo assim, devem exigir autorização e anuência dos retratados. Esse, apenas, não é o caso entre Lacey Jonas e Lindsay Lohan.

A defesa da atriz ainda não se pronunciou sobre a derrota nem confirmou se novos recursos serão iniciados. A Rockstar também não falou sobre a vitória nos tribunais, mas, no passado, já havia negado a inspiração em Lohan para a criação da personagem. A empresa afirma que sua história não faz referência a nenhuma celebridade em particular, enquanto sua aparência é da atriz Shelby Welinder, que foi devidamente contratada para modelar em GTA 5.

Fonte: Kotaku

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.