Hackers descobrem falha no Nintendo Switch que pode levar à pirataria

Por Wagner Wakka | 24 de Abril de 2018 às 16h00
photo_camera Captura/Youtube
Tudo sobre

Nintendo

Depois de conseguir instalar versões de Linux no Nintendo Switch, agora o mesmo grupo do fail0verflow conseguiu hackear o aparelho, o que pode levar instalação de apps e games customizáveis. Isso não quer dizer que o console foi desbloqueado ou que já é possível rodar quaisquer coisas pirateadas ali, mas foi dado um passo a mais para que isso aconteça.

O grupo documentou dois exploits em menos de 24h em que conseguem fazer um dump completo na memória ROM do console. Isso quer dizer que não basta a Nintendo soltar uma atualização para corrigir a abertura na inicialização, já que porta de entrada para os hackers está no hardware. Seria preciso modificar o próprio processador do aparelho. O Switch funciona com um NVidia Tegra X1, no qual é possível criar o bug de inicialização.

Com isso, os hacker desenvolveram um homebrew, ferramenta geralmente usada para desbloqueio de consoles. A versão fail0verflow não tem essa função; contudo, mostra que é possível se criar um homebrew com fins de pirataria. Ainda, caso consigam instalar uma versão completa do Linux, é possível rodar alguns jogos compatíveis com o sistema operacional.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A proposta do grupo não é incentivar a pirataria, mas, sim, mostrar as capacidades do hardware e divulgar possíveis falhas de segurança que há no aparelho. “Dadas as nossas experiências com os consoles anteriores, temos sido cautelosos em liberar detalhes de vulnerabilidades ou exploits por medo de serem usados ​​principalmente para pirataria”, explica o post oficial do grupo.

"Dito isto, o bug do boot de ROM do Tegra é tão óbvio que várias pessoas já descobriram isso de forma independente; na melhor das hipóteses, um lançamento por outras equipes de homebrew é inevitável, enquanto que, na pior, uma certa equipe de modchip de pirataria já pode ter dado o primeiro passo”, precupa-se o grupo.

Além da Nintendo, o fail0verflow também disse ter conversado com a Google, pois alguns aparelhos Android também usam chip semelhante ao do Switch e podem apresentar a mesma falha de segurança.

“Recentemente, iniciamos um processo de divulgação responsável com o Google, pois os chips Tegra são frequentemente usados ​​em dispositivos Android. O prazo de divulgação expirou. O bug será divulgado mais cedo ou mais tarde, provavelmente mais cedo. Para deixar bem claro, fazemos isso por diversão e homebrew, e nada mais", explica o post.

Até o momento, a instalação do Linux não permite muitas coisas como mostra um vídeo divulgado pelos hackers. A demonstração divulga que o fail0verflow obteve o acesso não somente às funções de comandos por toque na tela do Switch, mas conseguiu também utilizar um navegador para acessar páginas como em um tablet.

De acordo com o fail0verflow, o exploit utilizado para instalar o Linux no Switch não necessita de nenhum modchip para ser aplicado.

Fonte: Eurogamer

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.