Hacker é sentenciado a dois anos de prisão por ataques a empresas de games

Por Felipe Demartini | 05 de Julho de 2019 às 11h34
Pexels / MGN

O hacker norte-americano Austin Thompson, de 23 anos, foi condenado a dois anos e três meses de prisão por ser o responsável por uma série de ataques de negação de serviço que afetaram empresas de games no final de 2013. Os ataques DDoS atingiram as redes online de consoles como o PlayStation 4 e Xbox One, além dos servidores de títulos como League of Legends e DotA 2.

De acordo com o processo, os ataques realizados entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014 interferiram ou derrubaram momentaneamente redes como a PSN, da Sony, a Xbox LIVE, da Microsoft, e a Steam, que pertence à Valve. Foram atingidas, também, infraestruturas de companhias como Nintendo e Electronic Arts, bem como os sistemas online do game de tiro Quake Live.

Adotando online a alcunha de DerpTrolling, Thompson anunciava seus alvos pelo Twitter e, de acordo com a Justiça, foi bem-sucedido em seus ataques devido ao fato de, na época, a maioria das empresas atingidas não contarem com sistemas robustos de proteção contra DDoS. Além disso, por meio da rede social, o hacker também fazia ameaças e coletava pedidos dos usuários sobre quais serviços deveriam ser derrubados na sequência.

Ele estava ativo desde 2011 e, inclusive, já respondeu a outros processos sobre acusações anteriores, mas foi nos ataques às empresas de games que ganhou notoriedade. Os eventos receberam atenção especial por terem ocorrido durante o último mês do ano, uma época em que a venda de consoles aumenta por conta da Black Friday e do Natal, com milhões de pessoas tendo dificuldades para configurar e jogar suas plataformas novinhas por conta das instabilidades na rede.

O hacker foi preso em 2014, após uma denúncia, e confessou os crimes em novembro de 2018 como parte de um acordo para reduzir sua pena. Ele deve voltar à cadeia no dia 27 de agosto para cumprir os dois anos e três meses de reclusão, além de pagar uma restituição no valor de US$ 95 mil à Daybreak Games, que na época era conhecida como Sony Online Entertainment, e foi a única empresa a declarar ter sofrido danos financeiros como resultado dos atos criminosos de Thompson.

Apesar disso, o promotor Robert Brewer citou cifras no valor de milhões de dólares como resultado de ataques de negação de serviço e afirmou que a Justiça dos EUA está empenhada em punir hackers que realizam esse tipo de prática. Isso tem a ver, principalmente, com o fato de as ações de DerpTrolling, que receberam relativa cobertura da imprensa e o levaram à notoriedade, terem detonado uma onda de outros golpes semelhantes.

Nos três anos seguintes, a partir de 2013, foram diversas as vezes em que as empresas de games sofreram ataques DDoS lançados por grupos hackers que se gabavam de seus feitos pelo Twitter. Grupos como o Lizard Squad, que agiu no Natal de 2014, e o Phantom Squad, que derrubou redes no ano seguinte, também receberam igual atenção da imprensa e dos usuários de redes sociais.

Fonte: United States District Court

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.