Girl power: mulheres são mais da metade do público que joga videogames no Brasil

Por Redação | 18 de Março de 2016 às 12h00
photo_camera Divulgação

As mulheres já são maioria do público que joga videogames em vários países e agora também no Brasil. Este é o resultado da pesquisa Games Brasil 2016, conduzida pela agência de tecnologia interativa Sioux, empresa de pesquisa especializada em consumo Blend New Research, e a Game Lab, divisão da ESPM dedicada à experimentação e pesquisa de jogos.

De acordo com o relatório, de todos os jogadores brasileiros, 52,6% são mulheres. No estudo do ano passado, divulgado durante a Campus Party 2015, as meninas já representavam pouco menos da metade do público gamer brasileiro, com 47,1%. Em 2013, essa porcentagem era de 41%.

"No ano passado já havia o indicador de que as mulheres brasileiras superariam os homens no mercado de jogos em um curto espaço de tempo e isso se concretizou. Porém, o tempo que elas jogam é menor do que o do sexo oposto e o estilo de jogos que elas preferem também caracteriza um comportamento mais casual", diz em nota Guilherme Camargo, CEO da Sioux.

Mobile

Assim como na pesquisa de 2015, a edição deste ano da Games Brasil mostra que os dispositivos móveis ainda são a plataforma mais popular entre os jogadores brasileiros: 82,1% dos entrevistados disseram jogar pelo celular. Os smartphones dominam com 77,2% da preferência, seguido pelos computadores (66,9%) e consoles (45,7%). No entanto, apenas 11% do público se considera jogador de verdade.

Quanto ao sistema operacional, o Android do Google atende por 76,2% dos smartphones no Brasil, sendo que iOS e Windows Phone estão praticamente em empate técnico: o iOS tem 10,1% do mercado enquanto o Windows Phone tem 9,2%.

Em termos de preferência, a disputa, assim como no passado, é mais acirrada. 34,4% dos entrevistados dizem preferir jogar no smartphone, com 30,1% respondendo computadores e 29,9%, consoles. Além disso, com a mobilidade, 87,6% dos usuários afirmam que jogam quando estão em deslocamento ou no trânsito, leia-se ônibus, metrô ou carro. Outros 74,5% das pessoas jogam durante o horário de trabalho.

Consoles

O Xbox 360 continua como o videogame mais vendido do Brasil. O estudo verificou que o segundo console lançado pela Microsoft é usado por 40,9% dos entrevistados, seguido do PlayStation 2 (35,3%) e PS3 (29,5%). No quesito preferência, o Xbox 360 também lidera, com 31,9%, seguido pelo PlayStation 4, com 24,7%.

Categorias e e-sports

A categoria de jogos preferida foi a de Estratégia (54,7%), seguida de Aventura (49,0%) e Ação (42,3%). Um fato interessante é que jogos de Estratégia estão entre os preferidos para ambos os sexos, mas títulos de Cartas e Trívia (Palavra Cruzada, Puzzle etc), que estão presentes entre os top 5 para as mulheres, não figuram entre os top 10 para os homens.

Outra informação levantada pelo estudo é o crescimento dos esportes eletrônicos no Brasil, categoria que abrange games como League of Legends, Dota 2 e Counter Strike: Global Offensive. Aliás, este foi o primeiro ano em que os e-sports entraram na pesquisa, que constatou que 63% dos entrevistados nunca participou de um campeonato. Dos entrevistados que já disputaram em competições profissionais, 18,6% dizem tê-lo feito por uma equipe profissional, contra 81,4% de equipes amadoras. 72,5% afirmam nunca ter ganhado nenhum dinheiro jogando games.

Já 33,6% do público diz que já disputou competições entre amigos, e só 3,4% participaram de eventos maiores, com organização oficial e premiação. Em contrapartida, 26% de todos os participantes da pesquisa dizem ter assistido a algum tipo de campeonato profissional: 71,2% pela internet, 34,5% presencialmente, no local da disputa.

Fontes: G1, O Globo, UOL Jogos

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.