Game Super Impeachment coloca o jogador no lugar da presidente Dilma

Por Andressa Neves

A crise política brasileira envolvendo o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff tem gerado muitas desavenças entre os cidadãos contra e a favor do atual governo. As discussões, que têm ganhado impacto internacional, envolvem uma série de políticos de diversos partidos, e o próximo passo para a oposição será a votação no próximo domingo (17) pelos deputados para o impeachment.

Como todo bom brasileiro gosta de brincar mesmo com as situações mais sérias, diversos memes têm tomado conta das redes sociais nos últimos meses, e até mesmo um game foi criado para satirizar a atual situação do país. O passatempo recebeu o nome de Super Impeachment Rampage, onde o jogador controla a presidente para fugir do impeachment.

Logo no início, ao estilo dos games dos anos 80, a presidente pede aos brasileiros que a ajudem a escapar do impeachment que se aproxima, terminando sua fala com o famoso "Não vai ter golpe". Ao longo das fases, o gamer deve passar por uma série de obstáculos com agilidade, desviando de jornalistas, fotógrafos, manifestantes e coxinhas (literalmente). Durante o game, o jogador ainda deve fugir de algumas personalidades, como Sérgio Moro, Michel Temer, o Japonês da Federal, entre tantos outros. Para conseguir fugir, o jogador deve pressionar duas teclas (B e N) alternadamente, aumentando a velocidade da personagem, como nos jogos antigos.

Super Impeachment

Entre as fases principais existem os bônus, o que faz com que o jogo não seja restrito à fuga do impeachment, tornando-o ainda mais divertido. A primeira fase bônus, por exemplo, é um desafio de agilidade para entregar o termo de posse para o ex-presidente Lula.

Para quem se interessa por pontos, vale dizer que a pontuação do jogo é feita pela conquista de combos ao longo de cada fase, como a quantidade conseguida de Bolsa Família, de escutas telefônicas, Minha Casa Minha Vida e documentos sigilosos. Claro que os pontos também contabilizarão quanto o gamer conseguiu avançar ao longo do jogo. Como todo clássico, a última fase é um "chefão" ao estilo Robotinik, onde Dilma deve derrotar Eduardo Cunha.

Super Impeachment Rampage mescla agilidade e precisão e chega a um bom nível de dificuldade com o passar das fases, mas, independentemente da jogabilidade, vale à pena a experiência pelo humor com que os criadores desenvolveram o game, inserindo os principais elementos da atual crise política da maneira mais cômica possível.

Resta, no momento aguardar, o próximo dia 17 para ver se a presidente Dilma Rousseff continua na corrida contra o impeachment. Até lá, você pode se divertir participando dos desafios do Super Impeachment Rampage.

Para jogar, clique aqui.