Desenvolvedora gasta dinheiro de financiamento coletivo com bebida e mulheres

Por Redação | 03 de Fevereiro de 2016 às 08h19

Mais um escândalo está movimentando o mundo dos games independentes, lançando dúvidas quanto à habilidade e responsabilidade daqueles que utilizam financiamento coletivo para transformar suas ideias em realidade. No último final de semana, Eric Tereshinski, diretor da ETeeski, veio a público para denunciar seus sócios, afirmando que eles gastaram os pouco mais de US$ 4 mil obtidos no Kickstarter, além de um montante não revelado e fruto de financiamento externo, em bebidas e strippers.

O montante era destinado para o desenvolvimento de “Ant Simulator”, um jogo que, mais do que mais uma piada no segmento de simuladores de qualquer coisa, serviria como sucessor espiritual para o clássico SimAnt, da produtora Maxis, reconhecida pela série The Sims. Foi essa ideia que, inclusive, levou à campanha de financiamento coletivo que atingiu seus objetivos e também aos contatos com outros interessados em investir no projeto. Agora, Tereshinski afirma ter sido ludibriado por seus dois parceiros.

É claro, apenas ele veio a público falar sobre o assunto, e as informações ainda não foram confirmadas. Mas o que o desenvolvedor alega é que o dinheiro gasto com as farras chegou a ser registrado nas contas da empresa como gastos referentes a reuniões. Além disso, por contrato, a dupla de sócios era registrada como “consultores” da ETeeski, o que significa que eles poderiam ter acesso às contas e realizar gastos em nome da empresa, entretanto não eram legalmente obrigados a colocar as mãos na massa para desenvolver o game e outros produtos.

Tereshinski afirma ter sido prejudicado por seus parceiros e, mais do que isso, diz ter recebido ameaças de processo devido às condições que, segundo os sócios, seriam totalmente legais. Encantoado, ele não viu outra alternativa a não ser cancelar o desenvolvimento de Ant Simulator, garantindo que todos os que participaram da campanha no Kickstarter receberão seu dinheiro de volta.

O desenvolvedor, entretanto, não comentou sobre o montante recebido a partir de investidores externos, nem disse se vai perseguir algum tipo de ação legal contra os sócios. Além do cancelamento de Ant Simulator, entram em hiato, também, todos os trabalhos da ETeeski, que além de produzir jogos independentes também é focada em tutoriais de design e animação tridimensional no YouTube.

Fonte: ETeeski (YouTube)

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.