Desenvolvedor é demitido da Nintendo por participação em podcast

Por Redação | 14 de Agosto de 2015 às 11h18
photo_camera Divulgação

A Nintendo, apesar de criar alguns dos jogos mais coloridos, acessíveis e divertidos do mercado, é também uma empresa extremamente fechada quando o assunto são as declarações de seus funcionários. Algo que seu editor de localização, Chris Pranger, sentiu na pele durante esta semana, quando foi demitido após ter participado de um podcast.

Em sua mais recente edição, o programa Part-Time Gamers contou com a participação do desenvolvedor, que falou sobre suas experiências na Treehouse, o estúdio ocidental da Nintendo onde são criados novos games ou traduzidos aqueles que vêm diretamente do Japão. O podcast ganhou tração justamente por trazer um panorama raro sobre como funciona a companhia em seus bastidores, apesar de não trazer grandes bombas nem revelações.

Durante o papo, por exemplo, Pranger fala sobre o criador de Super Smash Bros., Masahiro Sakurai, e seu amor gigantesco pela franquia que o faz ficar profundamente chateado com críticas de fãs e nervoso quando existe um vazamento de personagens, pois tudo isso acaba afetando sua visão original. Além disso, defendeu o nome Wii U, bastante criticado por especialistas, afirmando que essa percepção de que os consumidores podem ficar confusos é apenas uma reação exagerada.

Outras afirmações, porém, se tornaram um pouco mais polêmicas, como um ataque direto ao fórum especializado NeoGaf. Ao explicar porque nem todos os jogos da Nintendo ganham versões ocidentais, Pranger disse que muitos títulos japoneses não têm um bom histórico deste lado do mundo e, sendo assim, o prejuízo envolvido em tradução, dublagem e relançamento pode não ser revertido, apesar da grande vontade de alguns fãs, o que torna o negócio inviável.

A Nintendo, assim como tantas outras desenvolvedoras japonesas, conta com uma restrita política de declarações para seus funcionários, que só podem falar com a imprensa mediante autorização. Como o desenvolvedor não recebeu tal aval, ele acabou demitido depois que suas declarações começaram a ganhar certa notoriedade na imprensa, principalmente a partir de sites dedicados à “Big N”. Foi o início, disse Pranger, de uma semana infernal.

Pelo Facebook, ele pediu desculpas à Nintendo e também à sua família, mostrando preocupação com seu futuro. O ex-funcionário afirmou receber um bom salário da Nintendo e, agora, vê a todos sem segurança e plano de saúde, na busca por um emprego tão bom quanto. Além disso, se diz triste por perder contato com muitos amigos, uma vez que não estará mais diariamente com eles. “Eu falhei com vocês. Eu falhei comigo mesmo”, termina ele.

Em declaração oficial, a Nintendo disse que não vai comentar sobre o assunto e desejou sorte ao desenvolvedor. A postagem original no Facebook de Pranger já foi deletada e ele também decidiu não falar mais sobre o caso.

Fontes: Chris Pranger (Facebook), Part-Time Gamer, Kotaku

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.