Desenvolvedor afirma ter conseguido efetuar jailbreak no PlayStation 4

Por Redação | 14 de Dezembro de 2015 às 13h48
photo_camera Divulgação

Faz pouco mais de dois anos que o PlayStation 4 foi lançado e até agora ninguém conseguiu a proeza de desbloquear o aparelho para rodar ferramentas e jogos de terceiros. Mas um desenvolvedor conhecido como CTurt, que atualmente trabalha com o PS4, afirma ter realizado o feito e efetuado o primeiro jailbreak no console da Sony.

De acordo com algumas postagens em sua conta pessoal no Twitter, o CTurt diz que alcançou o desbloqueio utilizando um aparelho com o firmware 1.76, lançado em setembro do ano passado - ou seja, atualizações mais recentes não permitem explorar a brecha no dispositivo. Ele alega ter usado um código externo feito por ele mesmo anteriormente para então aproveitar um exploit disponível nessa versão e concluir o jailbreak com sucesso.

Curiosamente, esse é o mesmo tipo de jailbreak feito por hackers no Nintendo Wii e em todos os modelos de iPhone lançados pela Apple até então. Na prática, isso permite que o dispositivo, no caso o PS4, receba diversas modificações para potencializar sua performance e também a instalação de aplicativos "homebrew". Por outro lado, mesmo sem terem descoberto como burlar o sistema de proteção de títulos oficiais, usuários mal intencionados podem se aproveitar do desbloqueio do console para a produção de jogos piratas, o que prejudicaria o mercado de games como um todo.

Ao que tudo indica, a Sony já está ciente do jailbreak feito por CTurt, o que significa que uma atualização do firmware para desativar todas essas modificações pode estar a caminho. Além disso, a companhia pode considerar como ilegais as tentativas de quebrar a segurança do videogame, uma vez que, nos termos de uso do console, isso consta como uma violação e um risco à segurança para a comunidade gamer do PlayStation 4.

Em maio deste ano, uma reportagem do UOL Jogos constatou que alguns lojistas no centro da cidade de São Paulo oferecem um suposto desbloqueio do PlayStation 4. A modificação em questão envolve a colocação de um chip na placa do aparelho que libera o uso de qualquer jogo, pirata ou original, na arquitetura do console. A ação, configurada como pirataria e sob pena de três meses a um ano de prisão, era oferecida por até R$ 400.

Fonte: CTurt (Twitter), Tech Times

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.