Cyberpunk 2077 | Atualização que corrigiria o jogo é adiada após ataque hacker

Por Felipe Demartini | 25 de Fevereiro de 2021 às 13h12
Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech

A CD Projekt Red anunciou nesta quarta-feira (24) o adiamento da grande atualização de Cyberpunk 2077 que estava prevista para sair ainda em fevereiro. A empresa diz precisar de mais tempo para entregar a versão 1.2 do game, que traria dezenas de melhorias a um título que sofre com problemas e bugs desde seu lançamento — o ataque hacker sofrido pela companhia no início do mês é citado, inclusive, como um dos principais motivos para o atraso na correção.

O anúncio foi feito pelo Twitter, com a CD Projekt Red afirmando que a ideia do patch 1.2 tem um escopo maior do que qualquer outra atualização já feita pela companhia. Uma data precisa para liberação do update não foi divulgada, mas a desenvolvedora espera poder liberar o pacote para Cyberpunk 2077 em cerca de um mês, na segunda metade de março.

Não vem sendo um momento dos mais fáceis para a produtora polonesa, que depois de lançar de forma inacabada e aquém da esperada um dos títulos mais importantes de sua história, se viu atingida por um ataque de ransomware no início de fevereiro. A indicação direta de que este é um dos motivos para o adiamento conta parte da história, enquanto relatos publicados na imprensa internacional citam uma situação caótica entre os funcionários da empresa.

De acordo com reportagem publicada pelo Bloomberg, a maioria dos colaboradores da CD Projekt Red está trabalhando de casa, devido à pandemia do novo coronavírus, mas desde os ataques, seguem impedidos de acessar a rede interna da produtora por meio de VPN. Com isso, eles também perderam acesso às ferramentas de trabalho, com apenas aqueles que efetivamente estão indo aos escritórios da desenvolvedora, na cidade de Varsóvia, na Polónia, conseguindo seguir adiante em seus trabalhos.

Entre todos, ainda, há uma sensação de insegurança, já que além de sistemas internos comprometidos e códigos-fonte vazados, os criminosos também teriam obtido dados pessoais dos colaboradores. Números de identidade, cópias de passaporte e demais documentos teriam sido comprometidos, com a produtora chegando a pedir que alguns de seus funcionários congelem suas contas bancárias e procurem a ajuda das autoridades, enquanto computadores usados no home office devem ser despachados para o quartel-general da empresa, de forma que possam ser escaneados em busca de vulnerabilidades, malwares e outras infecções.

Enquanto isso, Cyberpunk 2077, que deveria ser um marco na indústria de games, segue com uma performance bem aquém da esperada. O game segue fora da PlayStation Store, após ser retirado do ar pela Sony devido ao grande fluxo de reembolsos solicitados pelos jogadores, enquanto os problemas de performance, carregamento de texturas, travamentos e falhas que impedem o progresso seguem aterrorizando os jogadores que decidem seguir adiante na jornada.

Em análise no Canaltech, o título foi elogiado por sua história e personagens, que criam um universo interessante que não é abraçado pelas mecânicas rasas de jogabilidade e a repetitividade das missões. As falhas são apenas parte do problema, e um aspecto corrigível, enquanto a falta de profundidade do título pode acabar sendo um elemento bem mais difícil de ser mudado — se é que isso é, efetivamente, possível.

Fonte: CD Projekt Red (Twitter), Bloomberg  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.