Bateria do Nintendo Switch não poderá ser removida

Por Redação | 29 de Dezembro de 2016 às 10h48

Apesar de todo o hype causado pelo anúncio oficial do Nintendo Switch, a verdade é que sabemos pouquíssimas coisas sobre ele. Porém, um novo documento arquivado pela Federal Communications Comission (FCC), a "Anatel" dos Estados Unidos, nos dá pistas sobre uma nova característica do console: a bateria dele provavelmente não poderá ser removida.

É uma informação que pode soar pouco importante, mas que chama atenção sobretudo para questões relacionadas à autonomia do aparelho longe da tomada. Quando o Wii U foi lançado, por exemplo, muita gente se queixou de a bateria do gamepad durar muito pouco. As reclamações foram tantas que a Nintendo lançou um novo kit de baterias que durava de cinco a oito horas e que podia ser instalado com bastante facilidade por qualquer um. Caso a autonomia do gamepad do Switch não seja lá essas coisas, infelizmente não será possível substituir sua bateria.

Mas calma que existe uma luz no fim deste túnel. Como muito bem nota o Engadget, o Switch analisado pela FCC ainda era um protótipo, o que deixa um espacinho para a esperança de que a Nintendo pode ter mudado de ideia e incluído uma bateria removível. O único problema mesmo é que, pelas imagens exibidas pela Big N no trailer de anúncio do videogame, o gamepad em formato de tablet aparenta ter pouquíssimo espaço para a instalação de qualquer penduricalho adicional - ou seja, é difícil que ele tenha espaço interno suficiente para acomodar uma bateria maior.

A verdade sobre isso tudo só descobriremos durante o evento que a Big N está organizando para janeiro, quando ela pretende divulgar todas as especificações do Switch, disponibilidade e preço. Até lá, a porteira para os rumores passarem continua aberta.

Fonte: Engadget