Você sabe o que é um DLC?

Por Vanessa Lee | 12 de Novembro de 2012 às 17h03

O que é um DLC de fato? Muitas pessoas acabam associando esse dispositivo como extras dos jogos, porém, vamos mais fundo. O quê significa mesmo essa sigla e o que ela engloba?

Primeira coisa: DLC significa, em inglês, Downloadable Content, que em português é Conteúdo para Download. Trata-se na realidade de uma mída digital, que é distribuída nas principais redes de games do mundo. Lançado separadamente do jogo original, você pode baixar mapas, missões, personagens, armas, cenários, trajes... Fora o significado inicial, alguns denominam também o DLC de Disk Locked Content, ou Conteúdo Bloqueado em Disco.

Uma infinidade de coisas pode ser acrescentada, além de ser uma forma esperta das desenvolvedoras ganharem mais com determinadas produções. Há também a hipótese de que elas conseguem, assim, criar um vínculo maior com os jogadores que, frequentemente, tendem a expandir suas atividades sobre o mesmo game.

Os gêneros FPS, MMORPG e RPG de consoles convencionais são os que mais oferecem esse tipo de serviço, ampliando ainda mais os recursos de jogabilidade. Em jogos multiplayer, onde as pessoas criam muita interação, a necessidade de novidades é muito grande, pois existe uma competição sobre quem é o mais poderoso, quem tem mais ítens, quem já explorou mais mapas. Fora que é uma forma de fazer dar vida longa a um jogo. Um bom exemplo disso é o sucesso da DICE, Battlefield 3.

DLC 1

versão GOTY de Batman Arkham City

Concorrente direto da série Call of Duty, Battlefield 3 se colocou em primeiro lugar na preferência dos amantes de first person shooter por conta de seu modo multiplayer. No entanto, sem os DLCs, que consistiam em novos mapas para guerrear, sua campanha principal não faria tanto sentido assim, já que Modern Warfare 3 foi considerado muito melhor em história. Ou seja, às vezes o jogo ganha algo a mais com isso, influenciando seu êxito. Contanto, o conjunto de novas coisas proporcionou que o game conseguisse ser melhor que o adversário.

Não é só quem joga online que tem direito a baixar conteúdos exclusivos. Casos como Batman: Arkham City mostram que novos conteúdos podem ser muito bem vindos, fazendo o dinheiro investido valer a pena. Quem se aventurou no game da Rocksteady sabe que jogar com a Mulher-Gato ou Robin deu um “tchan” para o gameplay, servindo também como respiro no uso do Homem-Morcego. Aí estamos lidando com a compra de personagens, para que a história se torne mais completa. Como esses personagens foram reinventados para a produção, a recepção do público foi muito favorável. Essa “vitrine” inspirou outros estúdios a continuarem investindo em DLCs para jogos offline.

Para se ter consciência também, é importante falar que essas expansões servem ainda como meio de ludibriar a pirataria que continua em alta. Quem joga títulos paralelos não poderão se servir de conteúdos extras e essa desvantagem já abre precedentes para que os jogadores comecem a pensar duas vezes antes de desbloquear o aparelho. Uma saída não eficaz totalmente, mas que ajudou a inibir o mercado ilegal.

DLC

Playstation Store

O ponto negativo de fazer download de um conteúdo extra, algumas vezes, é que existem empresas que abusam um pouco dessa estratégia e acabam fazendo o gamer pagar o pato. Jogos como The Sims apresentam esse quadro, com expansões repetitivas, sem novidade alguma e sem prévia de nada, dando no fim aquele gosto amargo de ter pagado para nada.

Outro golpe baixo é quando as empresas resolvem colocar os DLCs para download dentro do disco do jogo. É, em Resident Evil 5, por exemplo, isso aconteceu e deixou muito fã irritado, pois para conseguir desbloquear o conteúdo que já estava em posse dele, era necessário pagar.

Mas nem só de DLCs pagos vive o mundo. Apesar de serem liberados em menor número, é possível encontrar materiais bem legais pra baixar. Um modelo recente é Tekken Tag Tournament 2, que liberou cinco lutadores a mais para a galera: Miharu, Sebastian, Dr. Bosconovitch, Slim Bob e Violet. Além dos personagens, também foram disponibilizados quatros novos cenários.

A gratuidade depende também de dois fatores importantes: do humor da desenvolvedora em querer oferecer algo gratuito de qualidade para os jogadores e o nível de popularidade do game (com menos audiência é mais fácil achar material na faixa).

Porque as versões GOTY (Game of The Year) trazem DLCs que já foram pagos?

Essa é uma questão delicada e praticamente sem resposta, uma vez que essas “novas” versões são mais uma sacada para arrecadar uma graninha extra para a empresa, e atrair os jogadores que não compraram determinado título quando foi lançado.

Red Dead Redemption e até o já citado Batman: Arkham City fizeram isso, o que não melhora em nada o preço dos GOTYs. Essa edição especial chega a custar o preço padrão de um lançamento, R$ 199,90, justificado exatamente por conter material extra.

Aumento de vida útil dos jogos

Umas das formas de podermos acreditar no quanto um DLC nos agrega é pensar na longevidade que um jogo pode ter com mais missões, mapas, enfim, mais coisas para fazer. Depois que se termina um título favorito, jogar e jogar de novo pode cansar, e é bem aí que os DLCs entram.

games

Podemos saciar a vontade por novidades sobre determinada produção e até esperar de maneira mais agradecida por uma sequência.

Jogos de aventura ou ação são, normalmente, os mais beneficiados nesse caso.

Porta de entrada para as futuras mídias digitais

No começo tudo era chamado de expansão, mas com o tempo chegamos aos DLCs. Vendo o caminho que as empresas estão tomando ao assumirem essa área de conteúdo, pode-se imaginar que a grandeza desse mercado irá se estender até as tão faladas mídias digitais, em substituição às físicas.

Tem gente que não leva a sério essa realidade, mas não só por conta dos DLC´s, como também pelos social games da vida, podemos crer que, sim, existe a possibilidade da extinção dos jogos na forma que conhecemos hoje.

Gradativamente os conteúdos para download tomarão uma nova forma e trazer jogos inteiros para esse formato não é nem um pouco difícil, então é legal termos consciência sobre o que o futuro nos reserva.

********************

Abaixo uma lista indicando alguns dos melhores DLCs:

- Battlefield 3: Close Quarters
- The Elder Scrolls V: Skyrim: Dawnguard
- GTA IV: The Balad of Gay Tony
- Mass Effect 2: Lair of the Shadow Broker e Kasumi's Stolen Memory
- Fallout 3 Broken Steel
- InFamous 2: Festival of Blood
- Batman Arkham Asylum: Joker Challenge
- Burnout: Paradise Island
- Left 4 Dead 2: The Passing
- BioShock 2: Minerva's Den
- Battlefield: Bad Company 2- Vietnam
- L.A. Noire- The Naked City
- Fallout New Vegas: Old World Blues

Battlefield 3

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.