Valve estava trabalhando em projeto de óculos de realidade aumentada

Por Redação | 22 de Maio de 2013 às 13h31

Em fevereiro a Valve demitiu cerca de 25 funcionários, entre eles o programador Rick Johnson e a engenheira de hardware Jeri Ellsworth. Na época, os dois profissionais estavam trabalhando no desenvolvimento de um par de óculos de realidade aumentada bem diferente do Google Glass.

Porém, ao deixar a empresa, eles levaram junto consigo a tecnologia com o plano de lançá-la no mercado de maneira independente. E eles contaram com a "bênção" da Valve para isso. Conhecido como 'CastAR', os óculos são equipados com um par de projetores, um por cima de cada olho, e duas lentes sensíveis ao infravermelho.

Os projetores são responsáveis por lançar as imagens em uma tela especial retrorrefletiva e, trabalhando em conjunto, criam uma imagem 3D que é percebida através das lentes infravermelhas. O interessante é que mais de uma pessoa pode projetar imagens em uma mesma tela e mesmo assim as imagens não se confundem.

O pessoal do The Verge teve acesso ao CastAR, e a dupla criadora dos óculos explicou ao site que eles não estão sendo produzidos comercialmente, trata-se apenas de um protótipo. Porém, a versão final do projeto será financiada com a ajuda do Kickstarter.

Eles também explicam que, diferente de gadgets para jogos 3D como o Oculus Rift, a ideia de seus óculos não é isolar o usuário em outra realidade, mas sim incorporar elementos do ambiente na experiência do game. O CastAR deve custar US$ 200 (cerca de R$ 400), já acompanhado por um kit de desenvolvedor.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.