Twitch aplica sistema para monitorar direitos autorais de músicas

Por Redação | 07 de Agosto de 2014 às 13h20

O Google ainda não anunciou oficialmente a compra do Twitch, um dos principais serviços de streaming de jogos. Mas, com as novidades anunciadas nesta quarta-feira (06) pela plataforma, é como se isso tivesse acontecido. Além da boa notícia de uma integração maior com o YouTube, veio a informação de que a plataforma vai começar a aplicar um sistema de proteção de direitos autorais semelhante ao do site de vídeos.

Já em funcionamento, a tecnologia é voltada para identificar trechos de músicas licenciadas em todo o conteúdo gravado disponível no site. Quando uma violação for detectada, o clipe terá pelo menos meia hora de seu conteúdo completamente silenciado, e mesmo os conteúdos não relacionados ao que foi identificado também permanecerão sem som.

O prazo estipulado tem a ver com a maneira usada pelo Twitch para armazenar os vídeos. De forma a facilitar a edição e reduzir o tamanho dos clipes salvos, a empresa costuma dividir as gravações em períodos de meia hora. Assim, quando um conteúdo protegido por copyright for identificado em qualquer trecho destes, eles serão silenciados por completo.

Segundo a empresa, transmissões ao vivo não serão monitoradas e os jogadores poderão fazer streamings despreocupados, já que não existem riscos de interrupções ou retiradas do ar. Por outro lado, gravações identificadas pelo sistema não poderão ser importadas para o YouTube nem baixadas em seu formato original, permanecendo silenciadas para sempre. O Twitch promete identificar os problemas imediatamente e já publicar as gravações com os trechos omitidos.

Quem se sentir lesado pela novidade, claro, conta com um sistema de disputas também semelhante ao YouTube, que dará ao usuário a chance de provar que a gravação em questão não está protegida ou que a identificação foi feita de forma errônea. Mas, desde já, o Twitch pede que os streamers evitem problemas, utilizando apenas trilhas liberadas.

Twitch ContentID

Os problemas do tipo, claro, já começaram e até o próprio Twitch acabou vítima deles. Pelo menos uma edição do programa próprio da plataforma, exibida no dia 18 de julho, teve um trecho silenciado em sua gravação. Não se sabe ainda se se trata de uma identificação equivocada ou legítima. Outros usuários já relatam casos semelhantes.

Mudanças no armazenamento

Junto com as novidades, o Twitch também anunciou modificações em seu sistema de salvamento de arquivos, voltadas a facilitar o acesso a conteúdos gravados. Agora, os vídeos não ficarão mais guardados indefinidamente, e sim, por no máximo 60 dias, de acordo com o tipo de conta utilizada por cada usuário.

Jogadores comuns, por exemplo, terão acesso total aos vídeos por duas semanas, enquanto assinantes e parceiros ganham dois meses de armazenamento. O que ficará armazenado eternamente, sim, serão os Highlights, “melhores momentos” das jogatinas que podem ser selecionados pelos próprios usuários e editados com uma ferramenta online do próprio Twitch. Aqui, não há distinção entre pagantes ou não.

A empresa explica a mudança com o argumento de custos, afirmando que paga caro para manter servidores e vídeos do ar. Além disso, apresenta dados de telemetria, afirmando que gravações atingem seu ápice de acessos nos primeiros dias após sua publicação e, na sequência, acabam sendo cada vez menos acessados.

Quem quiser armazenar suas gravações indefinidamente poderá usar um sistema de exportação para o YouTube, que enviará os vídeos diretamente de uma plataforma para outra. A novidade já está em funcionamento, mas em testes realizados pelo Canaltech, apresentava problemas na exportação e mensagens de erro indicando uma sobrecarga.

As mudanças no Twitch se dão na sequência do fechamento do Justin.tv, também anunciado nesta semana. Um dos pioneiros serviços de streaming da internet encerrou suas atividades de forma que a empresa pudesse se focar completamente na plataforma para games.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.