SEGA está se reorganizando e vai focar em jogos mobile e digitais

Por Redação | 30 de Janeiro de 2015 às 13h10
photo_camera Reprodução/Apple Insider

Quem tem mais de 20 anos com certeza vai se lembrar do tempo em que a SEGA figurava ao lado da Nintendo como uma das principais empresas do mercado de games. Mas esse tempo já se foi, a empresa deixou de fabricar consoles e, agora, trabalha ao lado das fabricantes no lançamento e distribuição de games para consoles de terceiros. São tempos difíceis para a desenvolvedora que, nesta sexta-feira (30), anunciou um downsizing em seus escritórios dos Estados Unidos e Japão.

Como forma de se alinhar melhor às necessidade de mercado, a SEGA anunciou um foco renovado em títulos mobile e digitais, nos consoles e PC. É uma alternativa para redução de custos, já que não envolve a produção de caixinhas e a logística de entregas, na mesma medida em que permite uma entrega direta do título ao jogador e, também, um aumento na oferta de jogos por meio do trabalho em projetos menores.

Além disso, o foco será ampliado para os setores de TV e merchandising, seguindo o sucesso do recente Sonic Boom que, apesar das críticas negativas de sua versão nos videogames, vem tendo sucesso com sua série animada e também a venda de produtos licenciados. Para o presidente da companhia, John Cheng, esse é um movimento “crucial” para que a empresa continue lucrativa, principalmente no mercado norte-americano.

A reorganização, porém, terá suas vítimas. Segundo o Eurogamer, o “realinhamento de operações” também inclui o corte de pelo menos 120 funcionários nos EUA. Deste lado do mundo, pacotes de demissão voluntária serão oferecidos aos funcionários que desejarem sair, enquanto outros serão efetivamente dispensados. A SEGA também muda de escritório, saindo da cidade de São Francisco para um novo edifício no sul da Califórnia.

No Japão, o quadro de executivos também será afetado, assim como os setores operacionais, em pelo menos uma centena de posições. Apenas os escritórios da Europa parecem sofrer pouco com as mudanças, já que, por lá, a SEGA afirma que apenas funcionários “redundantes” serão mandados embora.

Como se trata de um movimento para aumentar a lucratividade e reduzir os custos operacionais, a SEGA deixou bem claro que as mudanças não afetarão sua lista de títulos para o futuro próximo nem o andamento do seriado animado Sonic Boom. Entre os games previstos para breve estão Total War: Attila, que coloca o jogador na posição de um estrategista militar na guerra contra os hunos; Yakuza 5, game de ação focado na máfia japonesa; e Football Manager 2016 que, como o nome já diz, põe o usuário para comandar uma equipe do esporte bretão.

Falando no game de futebol, é ele quem deve movimentar em maior grau os resultados financeiros da SEGA no ano fiscal que se encerra em 31 de março. De acordo com as previsões da companhia, ainda deve existir lucro, mas em menor grau do que no período passado. A próxima revelação de resultados financeiros da empresa está marcada para o dia 12 de fevereiro e vai se referir ao intervalo entre outubro e dezembro de 2014, compreendendo as compras de Natal e com grande expectativa relacionada, mais uma vez, aos produtos licenciados de Sonic Boom.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.