Produção de games para nova geração pode ser dez vezes mais longa, afirma Capcom

Por Redação | 14 de Janeiro de 2014 às 10h40

Apesar dos lançamentos considerados bem-sucedidos por Sony e Microsoft, ninguém pode negar que o PlayStation 4 e o Xbox One chegaram ao mercado com poucos games. Ainda hoje, quase dois meses desde a chegada original dos consoles, ainda são poucas as opções para a nova geração. Segundo a Capcom, isso é explicado por uma maior exigência por qualidade intrínseca aos novos aparelhos.

De acordo com o diretor sênior da empresa, Masaru Iijuin, os aparelhos mais recentes requerem de oito a dez vezes mais horas de trabalho que os seus antecessores. Isso se deve à maior exigência por qualidade e uma maior quantidade de recursos que precisam estar disponíveis nos títulos, como integração com redes online, smartphones e tablets.

Iijuin deixa claro que sua afirmação reflete uma realidade da própria Capcom, renomada pela criação de franquias como Street Fighter ou Resident Evil. Continuando as declarações feitas à Revista oficial do Xbox, ele explicou que cada estúdio pode ter seus próprios processos que tornam o trabalho mais rápido ou demorado. O objetivo, sempre, é aproveitar ao máximo o potencial das novas plataformas.

É justamente aí que entra o grande gargalo da nova geração de consoles. Por mais que o PS4 e Xbox One tenham arquiteturas semelhantes às dos PCs, o que facilita o desenvolvimento, o maior número de funções e possibilidades pode tornar tudo mais complexo. Principalmente quando se leva em conta uma situação como a da Capcom, que abandonou o trabalho com um motor gráfico já conhecido, a MT Framework, em prol de uma engine renovada chamada Panta Rhei.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.