Para acabar com o lag, Riot Games terá rede própria de transmissão de dados

Por Redação | 07.01.2015 às 13:24

League of Legends é o jogo de computador mais jogado do mundo e um dos responsáveis pelo fortalecimento do cenário competitivo dos videogames, tendo atingido a marca de mais de 27 milhões de jogadores conectados todos os dias (de acordo com relatório do GameSpot). Mas nem mesmo ele está a salvo do monstro mais vil, impiedoso e implacável do mundo dos games: o lag.

Como responsável pelo jogo de PC mais popular do mundo, a Riot Games tem uma reputação a zelar. Por esse motivo, segundo informações do Kotaku, a desenvolvedora resolveu arregaçar as mangas e fazer alguma coisa para acabar com o lag que tanto atrapalha a vida dos jogadores com conexões lentas e alto valor de ping. E já que a internet não é tão adequada para o que a Riot deseja oferecer ao seu público, a saída foi criar uma espécie de intranet.

A Riot Games está nos estágios finais do desenvolvimento de uma rede mundial própria dentro da internet, que deve ficar pronta e entrar em funcionamento nos Estados Unidos e Canadá em março de 2015. A ideia é mudar a forma como os dados do jogo são trafegados, eliminando interferências externas que causam alta latência durante as partidas.

"Atualmente, os provedores de internet se preocupam primeiramente em enviar grandes quantidades de dados em segundos ou minutos, o que é bom para aplicações de streaming como YouTube ou Netflix, mas péssimo para jogos em tempo real, que precisam movimentar pequenas quantidades de dados em milissegundos. Além disso, sua conexão com a internet pode atravessar todo o país ao invés de chegar diretamente ao destino, o que pode impactar a qualidade da rede e do ping, esteja o servidor do outro lado do país ou na mesma rua que você. É por isso que estamos criando nossa própria rede de tráfego direto para League [of Legends] e trabalhando junto com os ISPs dos EUA e do Canadá para conectar nossos jogadores a ela", explicou a companhia no comunicado.

Caso a iniciativa da Riot funcione, certamente abrirá um grande precedente para que outras empresas tomem a mesma atitude, em prol do conforto de seus jogadores: comunidades online da Valve (Dota 2) e da Blizzard (World of WarCraft, StarCraft 2, Diablo III, entre outros) certamente seriam muito beneficiadas com uma rede dedicada.

Agora é esperar para ver os resultados dessa nova rede do League of Legends e torcer para que em breve os jogadores brasileiros também possam usufruir de partidas sem nenhum lag.