Opinião: A Sony e seu Playstation 4 de ridículos R$ 4000

Por Pedro Cipoli

Muitos fãs da Sony ficaram chocados com o preço de R$ 4000 (ok, R$ 3999, mas acho que o problema não é o R$ 1), e, considerando que ele custa R$ 399 nos Estados Unidos, motivos para reclamação não faltam. O interessante também é que o Xbox One custa R$ 100 dólares a mais lá fora, e mesmo assim foi anunciado na pré-venda por R$ 2200, valor que já é considerado alto. A Sony ficou maluca? Errou no preço de divulgação? Claro que não.

Seria muito inocente pensar que esse preço é acidental. Não é. A lógica da Sony é a mesma utilizada por muitas empresas: brasileiro paga pela novidade. Brasileiro reclama de preço alto e compra do mesmo jeito. Aqui a mágica de dividir em 12 vezes no cartão é regra, algo que os concorrentes também fazem e que, bem, garante margens de lucro bastante confortáveis. Afinal, para quem paga mais de R$ 25.000 em um Fiat Uno, que mal pagar R$ 4.000 em um console?

A Sony adotou a política de como as coisas funcionam no Brasil à risca. Jack Tretton, CEO da empresa, garantiu: “Nossa meta é oferecer o PlayStation 4 no Brasil pelo equivalente a 399 dólares, definido para os Estados Unidos”, Ou seja, algo próximo de R$ 1.000, R$ 1.200, fazendo com que muitos dessem risada dos R$ 2.200 cobrados pelo Xbox One. Para falar a verdade, ficamos até entusiasmados com essa notícia, afinal, mostrava que a empresa se importava com a opinião do brasileiro. Algo como "Tamo junto".

Porém, para quem não se lembra, na época em que o Playstation 3 foi lançado, algumas pessoas pagavam quase R$ 7.000 no lançamento (isso há oito anos). Quando questionada sobre o valor alto do PS3, a Sony respondeu com um caridoso "Bem, acho que as pessoas vão ter que trabalhar mais para comprar o PS3". Mesmo que isso tenha acontecido há anos, estamos falando da mesma empresa.

Ao invés de xingar muito no Twitter, fazer discursos de que vale mais a pena ir até os Estados Unidos, comprar um e ainda economizar, dizer que vai comprar pelo Mercado Livre, a solução é muito simples. Não compre. Simples assim. Melhor ainda, compre um Xbox One (R$ 2.200 nunca pareceu tão barato, não?), e condene o Playstation 4 ao ostracismo. Com isso, podemos garantir que uma coisa com certeza irá ocorrer no curto prazo.

O preço do Playstation 4 vai abaixar, mas não muito. Ele cairá para R$ 3.500, R$ 3.000, e algumas lojas vão oferecer promoções do tipo R$ 2.800 à vista. Contando que você não tenha comprado um Xbox One, vai valer a pena? Claro que não. Fazendo um paralelo importante, por quanto o Galaxy S4 foi lançado? R$ 2.500, não? Em 6 meses de pessoas reclamando e com baixas vendas, ele pode ser encontrado hoje por menos de R$ 1.500, com quedas mês a mês.

Por mais que o departamento de marketing mostre que você só será feliz comprando o produto X ou Y, a verdade é que você não tem que comprar um produto, e muitas pessoas se esquecem desse fato. Enquanto usuários ficarem irritados, mas conformados, em pagar um preço tão alto, não só a Sony, mas qualquer outra empresa, vai deitar e rolar com o preço de lançamento.

Por último, vale a pena mencionar que os U$ 399 cobrados pelo PS4 nos EUA já incluem a margem de lucro da Sony. Mesmo que ela culpe os altos impostos do país (e, acredite, ela fará isso), não há qualquer justificativa para esse preço que não seja o lucro Brasil. Imagine um cenário onde o imposto é de 100% e o dólar custa R$ 2,50 (chutando alto, hein), o Playstation 4 sairia por R$ 2.000.

Esse é um preço completamente ridículo. Não é alto, é ridículo, irreal e um completo desrespeito ao consumidor brasileiro. As duas únicas formas de combater preços desse tipo são: a) boicotar, guardando o seu dinheiro para algo que valha a pena, ou b) trocar para o concorrente. O Xbox One é caro, sim, e não estamos dizendo que ele é melhor ou pior do que o PS4, mas mostra que a Microsoft teve, neste momento, um respeito um pouco maior pelo consumidor.