Nintendo encerra distribuição oficial de jogos no Brasil e culpa altos impostos

Por Redação | 09 de Janeiro de 2015 às 14h09

A Nintendo anunciou nesta sexta-feira (9) que vai encerrar oficialmente a distribuição de jogos e consoles no Brasil. A empresa subsidiária da Juegos de Video Latinoamérica, Gaming do Brasil, vinha distribuindo os produtos da companhia japonesa no país nos últimos quatro anos.

Em comunicado oficial enviado à imprensa, Bill van Zyll, diretor e gerente geral da Nintendo da América Latina, lamenta a decisão: "O Brasil é um mercado importante para a Nintendo e lar de muitos fãs apaixonados, mas, infelizmente, desafios no ambiente local de negócios fizeram nosso modelo de distribuição atual no país insustentável", afirma.

Ele ainda comenta que entre os desafios enfrentados pela Nintendo no Brasil estavam as altas tarifas de importação e a decisão de não ter uma operação de fabricação local. "Trabalhando junto com a Juegos de Video Latinoamérica, iremos monitorar a evolução do ambiente de negócios e avaliar a melhor maneira de servir nossos fãs brasileiros no futuro”, disse Zyll.

O CEO da Juegos de Video Latinoamérica, Bernard Josephs, garante que a distribuição para outros países da América Latina continuará acontecendo. Além disso, o executivo explicou que a a Nintendo vai "monitorar a evolução do ambiente de negócios e avaliar a melhor maneira" de voltar ao mercado brasileiro de jogos eletrônicos no futuro.

A Nintendo enfrenta problemas no Brasil há bastante tempo. A loja online eSHop, por exemplo, que comercializa conteúdo para o Nintendo 3DS, não aderiu a regulamentação bacária que impede que cartões de crédito de bancos populares cobrem em dólares, em vez do preço em real descrito na loja. Já o Wii U não possui loja online em território nacional, deixando os jogadores sem acesso à conteúdo exclusivo online.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.