Nintendo amarga prejuízo financeiro pelo terceiro ano seguido

Por Redação | 07 de Maio de 2014 às 12h05

Apesar do controle inovador, o Nintendo Wii U não tem feito o sucesso esperado pela empresa criadora de Super Mario Bros. Pelo terceiro ano consecutivo, a Nintendo fechou o ano no vermelho, com um prejuízo de ¥ 46,4 bilhões (US$ 457 milhões) e um dos principais motivos foram as baixas vendas do Wii U na época de festas de fim de ano. Até o fim do primeiro trimestre de 2014, o número de consoles vendidos foi de apenas 310 mil, 20% a menos que no ano interior.

No total, o Wii U vendeu cerca 6,17 milhões de unidades no mundo todo desde o seu lançamento em 2012. Enquanto isso, o PlayStation 4 da concorrente Sony, que foi lançado um ano depois, já alcançou a marca de 7 milhões de unidades vendidas. A expectativa da Nintendo é de que até o fim do ano consiga aumentar as vendas do Wii U e do portátil 3DS, conseguindo, assim, sair do vermelho e operar com lucro de ¥ 40 bilhões (US$ 394 milhões).

Apesar das previsões otimistas, os acionistas da Nintendo possuem motivos para ficar com um pé atrás. O CEO da empresa, Satoru Iwata, havia previsto que a companhia teria lucro de ¥ 100 bilhões em 2013. Pouco tempo depois ele acabou anunciando que, na verdade, a Nintendo iria fechar o ano com prejuízo de ¥ 35 bilhões. Iwata acabou errando nas duas previsões, já que o prejuízo foi de ¥ 11 bilhões a mais do que ele havia previsto.

Em um comunicado oficial, a Nintendo anunciou que a estratégia para aumentar as vendas do Wii U será produzir games que consigam utilizar todo o potencial do GamePad do console. O último grande lançamento para a plataforma foi Super Mario 3D World e agora a empresa apostará em outro jogo do encanador: Mario Kart 8, que sempre é sucesso de vendas e bateu a marca de 34 milhões de unidades vendidas no Nintendo Wii. Porém, se nem Mario Kart 8 conseguir aumentar as vendas do Wii U, é difícil imaginar o que poderia convencer os gamers a comprarem o console.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.